Saltar para o conteúdo principal

Lula mantém 49% dos votos válidos; Serra oscila positivamente e tem 22% dos votos válidos

Eleições -

Pesquisa realizada pelo Datafolha nesta quarta-feira, 2 de outubro de 2002, mostra estabilidade na disputa pela Presidência da República. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantém a liderança, seguido por José Serra (PSDB), que oscilou positivamente em relação à pesquisa anterior. Anthony Garotinho (PSB), que também oscilou positivamente no que diz respeito aos votos válidos, é o terceiro, e Ciro Gomes (PPS), que apresentou oscilação negativa, é o quarto colocado. Na pesquisa anterior, Ciro e Garotinho empatavam tecnicamente no limite da margem de erro.

Lula manteve o mesmo percentual obtido na pesquisa anterior, realizada no dia 27 de setembro e, se a eleição fosse hoje, teria 49% dos votos válidos. Para se eleger sem a necessidade de realização de segundo turno o candidato precisa atingir 50% dos votos mais um. Como a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, Lula pode ter entre 47% e 51% dos votos válidos e, assim, se a eleição fosse realizada hoje, não seria possível afirmar se haveria segundo turno ou não.

José Serra oscilou positivamente, de 21% para 22% dos votos válidos; Garotinho também teve oscilação positiva, de 16% para 17%, enquanto Ciro oscilou negativamente, de 12% para 11% dos votos válidos.

Zé Maria (PSTU) atinge 1% dos votos válidos; Rui Costa Pimenta (PCO), apesar de mencionado, não chega a atingir essa marca.

Para o cálculo dos votos válidos o Datafolha exclui da amostra os eleitores que pretendem votar em branco ou anular o voto e os indecisos.

Foram ouvidos 8068 eleitores em 388 cidades do país e a margem de erro máxima é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Levando-se em consideração o total de votos Lula se manteve com 45%, Serra oscilou de 19% para 21%, Garotinho permaneceu com 15% e Ciro oscilou de 11% para 10%. O percentual de eleitores brasileiros que pretende votar em branco ou anular o voto permaneceu idêntico ao verificado na pesquisa anterior, 3%; a taxa de indecisos também é a mesma, 5%.

Lula seria o vitorioso em um eventual segundo turno contra seus três principais adversários. O petista venceria Serra por 55% a 37%, Garotinho por 55% a 36% e Ciro por 58% a 33%.

Levando-se em consideração o total de votos a variação mais significativa para Lula ocorreu na região Sul, onde o petista teve uma ligeira perda, passando de 49% para 46% das intenções de voto. Nessa região Serra teve uma variação positiva, passando de 22% para 26%.

Serra também ganhou pontos principalmente entre os eleitores com renda familiar mensal entre R$ 1.000,00 e R$ 2.000,00 (passou de 17% para 24%) e nas cidades que têm até 10 mil eleitores inscritos (passou de 20% para 26%).

Garotinho ganhou votos especialmente entre os eleitores com renda acima de R$ 2.000,00 (passou de 8% para 13%). Por outro lado, entre os eleitores com renda entre R$ 1.000,00 e R$ 2.000,00 o candidato do PSB passou de 14% para 9%.

Lula mantém 49% dos votos válidos
Serra oscila positivamente e tem 22% dos votos válidos

Ciro Gomes perdeu cinco pontos nas regiões Norte e Centro-Oeste, passando de 13% para 8% nessas regiões. O percentual dos que dizem, espontaneamente, que pretendem votar em Lula para presidente é de 36%, idêntico ao verificado na pesquisa anterior. A taxa dos que citam Serra espontaneamente oscilou de 12% para 13%.

A intenção de voto espontânea em Garotinho também oscilou positivamente, de 10% para 11%; já a de Ciro oscilou negativamente, de 8% para 7%. A taxa dos que não sabem dizer, de maneira espontânea, em quem pretendem votar para presidente oscilou de 30% para 29% em relação ao levantamento anterior.

A intenção de voto espontânea é aferida pela primeira pergunta feita aos entrevistados, antes da apresentação de um cartão circular com os nomes dos candidatos aos entrevistados.
A taxa dos que afirmam que não votariam de jeito nenhum em Serra para presidente oscilou negativamente, de 35% para 33%. A rejeição a Ciro também oscilou negativamente, de 33% para 32%, enquanto o percentual de eleitores que não votariam de maneira alguma em Lula oscilou positivamente, de 27% para 29%. A rejeição a Garotinho se manteve em 27%.

Não votariam de jeito nenhum em Zé Maria 27%; descartam Rui Costa Pimenta como opção 24%.

Votariam em qualquer um dos candidatos a presidente 5%; não votariam em nenhum deles 1% dos entrevistados.

Número de candidato a presidente é desconhecido por 35%

Pela primeira vez desde que o Datafolha começou a investigar o conhecimento do número dos candidatos a presidente o percentual de entrevistados que sabem dizer corretamente o número de seu candidato representa a maioria do eleitorado: hoje 54% respondem corretamente o número do candidato em quem pretendem votar. No entanto, faltando quatro dias para o primeiro turno da eleição presidencial, mais de um terço (35%) dos eleitores brasileiros ainda não sabe dizer que número deve digitar na urna eletrônica para confirmar seu voto. Essas serão as primeiras eleições a serem realizadas com total utilização de urnas eletrônicas. Caso o eleitor não saiba o número correto do candidato no qual pretende votar ele não terá como efetivar sua intenção de voto, podendo, inclusive, dar seu voto a outro candidato, e não o que tinha escolhido.

Lula, como em todas as pesquisas realizadas desde 15 de agosto, é o candidato com maior percentual de eleitores que conhecem seu número: 66% sabem que devem digitar "13" na urna eletrônica para confirmar seu voto. Entre os eleitores de Garotinho 57% sabem que devem digitar "40" para votar no candidato, e entre os que votam em Ciro Gomes 51% sabem que, para confirmar seu voto, devem digitar "23". Como acontece desde a primeira pesquisa, José Serra é o candidato em pior situação nesse aspecto: menos da metade (47%) dos eleitores do peessedebista sabe informar o número do candidato (45).

77% se dizem totalmente decididos quanto a seu voto para presidente
Aumenta percentual de eleitores de Ciro Gomes que admitem votar em José Serra

O percentual de eleitores brasileiros que já escolheram um candidato ou pretendem votar em branco ou nulo e que se dizem totalmente decididos quanto a seu voto para presidente aumentou mais uma vez e chega a 77%, taxa quatro pontos superior à verificada na pesquisa anterior, realizada na sexta-feira passada, 27 de setembro. A taxa dos que dizem que o voto ainda pode mudar caiu de 26% para 22%.

Lula é, como em todas as pesquisas anteriores que investigaram esse tema, o candidato com maior percentual de eleitores que dizem ter total certeza em relação ao seu voto: 83% dos que pretendem votar no petista dizem que estão totalmente decididos, taxa quatro pontos superior à verificada na pesquisa anterior. A taxa de eleitores que votam em Garotinho e se dizem totalmente decididos é de 78%, sete pontos superior à verificada na última pesquisa. Entre os eleitores de Ciro Gomes o percentual de eleitores totalmente decididos oscilou de 68% para 69%; entre os que pretendem votar em José Serra essa taxa cresceu de 66% para 72%.

Entre os eleitores que admitem que ainda podem mudar o voto 24% citam José Serra como o candidato com mais chance de ser beneficiado pela mudança; 21% citam Lula, 20% dizem que optariam por Ciro e 19% votariam em Garotinho em caso de mudança.

Dos que hoje votariam em Lula mas não estão totalmente decididos 37% optariam por Serra, 26% por Garotinho e 21% por Ciro em caso de mudança. Entre os que pretendem votar em José Serra 33% citam Lula, 30% Ciro e 23% Garotinho como segunda opção. Entre os que pretendem votar em Garotinho e admitem mudar 38% dariam seu voto a Lula, 29% votariam em Serra e 20% em Ciro. O percentual de eleitores de Ciro que não estão totalmente decididos e citam Serra como segunda opção aumentou de 33% para 38% em relação à pesquisa anterior; a taxa dos que citam Lula oscilou de 32% para 30% e a dos que mencionam Garotinho caiu de 24% para 19%.

São Paulo, 2 de outubro de 2002.

Baixe esta pesquisa