Saltar para o conteúdo principal

Após início do horário eleitoral Lula ganha três pontos e chega a 61%; Serra continua com 32% das intenções de voto

Eleições -

Após o início do horário eleitoral no segundo turno, que passou a ser transmitido na última segunda-feira, 14 de outubro, o candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ampliou a vantagem em relação a José Serra (PSDB), de 26 para 29 pontos percentuais, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha nesta sexta-feira, 18 de outubro de 2002.

Em uma semana o petista ganhou três pontos, passando de 58% para 61% das intenções de voto; Serra permaneceu com 32%, como na pesquisa realizada no dia 11 de outubro.

O percentual de eleitores que pretendem votar em branco ou anular o voto permaneceu em 4% e a taxa de eleitores indecisos caiu de 6 para 3%.

Foram ouvidos 10397 eleitores nesta sexta-feira, 18 de outubro de 2002. A margem de erro máxima para este levantamento é de, no máximo, dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Considerando apenas os votos válidos (excluídos brancos, nulos e indecisos) Lula atinge 66% e Serra 34%. Segundo os dados oficiais do TSE o petista teve 46,44% e o peessedebista 23,20% dos votos válidos no primeiro turno.

A primeira semana do horário eleitoral no segundo turno foi marcada por intensos ataques de Serra a Lula.

Os programas do candidato do PSDB repetiram insistentemente a tese de que Lula seria despreparado para ocupar a Presidência e mostraram críticas às administrações do PT em estados como o Rio Grande do Sul e cidades como São Paulo.

Um dos momentos de maior repercussão foi um depoimento da atriz Regina Duarte, que disse ter "medo" de uma eventual vitória de Lula.

A pesquisa mostra que a declaração oficial de apoio a Lula por parte dos candidatos derrotados à Presidência Anthony Garotinho e Ciro Gomes surtiu efeito, em benefício do petista. Na pesquisa anterior os eleitores que declaravam ter votado nesses candidatos no primeiro turno se dividiam entre Lula e Serra.

O levantamento desta sexta-feira mostra que, dos eleitores que declaram ter votado em Garotinho, 48% pretendem votar em Lula (eram 41% na pesquisa anterior), 40% em Serra (eram 42%), 6% dizem que vão votar em branco ou anular o voto (eram 8%) ou se declaram indecisos (eram 10%). Dos que dizem ter votado em Ciro Gomes 48% pretendem votar em Lula (eram 42% no levantamento anterior), 37% em Serra (eram 42%), 9% afirmam que vão votar em branco ou anular o voto (eram 8%) e 6% se dizem indecisos (eram 8%).

Considerando a escolaridade dos entrevistados, Lula ganhou mais votos entre os que têm escolaridade secundária (foi de 60% para 65%) e aqueles que estudaram até o 1º grau (passou de 56% para 59%). Entre os eleitores com nível superior Serra passou de 30% para 33% e Lula foi de 61% para 63%; a taxa dos eleitores indecisos nesse segmento passou de 4% para 1%.

Lula ganhou quatro pontos percentuais entre os eleitores com renda familiar mensal até R$ 1.000,00, ou cinco salários mínimos; nesse estrato o petista passou de 57% para 61%.

No que diz respeito às regiões do país, a pesquisa revela que Lula ganhou cinco pontos percentuais no Nordeste (passou de 59% para 64%) e quatro pontos no Sudeste (foi de 58% para 62%).

O petista ganhou sete pontos percentuais (passou de 56% para 63%) nos municípios que têm entre 50 a 150 mil eleitores e cinco pontos (passou de 54% para 59%) nas cidades com eleitorado entre 20 e 50 mil eleitores.

Lula ganhou quatro pontos percentuais entre os eleitores que aprovam o desempenho do presidente Fernando Henrique Cardoso: nesse segmento o petista passou de 36% para 40%, enquanto Serra oscilou de 57% para 55%.

87% dos eleitores que têm um candidato ou pretendem anular o voto ou votar em branco se dizem totalmente decididos

Entre os eleitores que têm um candidato a presidente ou pretendem votar em branco ou anular o voto chega a 87% a taxa dos que se dizem totalmente decididos quanto à sua opção no segundo turno; 12% afirmam que seu voto ainda pode mudar.

Entre os eleitores que pretendem votar em Lula, 90% se dizem totalmente decididos e 9% afirmam que seu voto ainda pode mudar.

Entre os eleitores de Serra 84% dizem estar totalmente convictos e 15% consideram a hipótese de mudar. Entre os eleitores que não escolheram um candidato (que pretendem votar em branco, anular o voto ou se declaram indecisos) 27% afirmam que podem mudar.

A pesquisa mostra que Lula leva vantagem sobre Serra entre os eleitores que, hoje, dizem que pretendem votar em branco ou anular o voto, mas ainda podem mudar. Desses eleitores 41% afirmam que, em caso de mudança, optariam por Lula; 28% deles votariam em Serra. Não sabem dizer o que farão se, de fato, mudarem o voto, 26%.

Entre os eleitores que pretendem votar em Lula e admitem mudar, 55% dizem que, nesse caso, optariam por Serra e 39% votariam em branco ou anulariam o voto. Dos que pretendem votar em José Serra mas admitem que ainda podem mudar 51% dizem que, em caso de mudança, optariam por Lula e 40% votariam em branco ou anulariam o voto.

Faltando 9 dias para o segundo turno, 18% não sabem dizer, espontaneamente, o número que devem digitar para confirmar seu voto para presidente. Do total de eleitores entrevistados 73% sabem dizer o número de seu candidato a presidente; citam números incorretos 3%.

Entre os eleitores que pretendem votar em Lula, 83% sabem que devem digitar o número 13 na urna eletrônica para confirmar seu voto para presidente; entre os que pretendem votar em Serra 69% sabem que devem digitar o número 45 para confirmar seu voto.

Desempenho de Lula no horário eleitoral gratuito é aprovado por 66%
Serra é aprovado por 49%

Considerando apenas os entrevistados que assistiram os programas de cada candidato no horário eleitoral gratuito entre segunda e quinta-feira, verifica-se que Lula atinge a maior taxa de aprovação, com 66% de entrevistados que consideram seu desempenho nos programas ótimo ou bom. Para 22% ele teve um desempenho regular e 8% consideram sua atuação ruim ou péssima. O desempenho de Serra é aprovado por 49%; para 29% a propaganda do peessedebista foi regular e para 19% ruim ou péssima.

O desempenho de Lula no horário eleitoral gratuito foi acompanhado por 50% dos eleitores brasileiros; a propaganda de José Serra foi vista por 49%.

São Paulo, 18 de outubro de 2002.

Baixe esta pesquisa