Saltar para o conteúdo principal

Alckmin atinge 58% dos votos válidos, 16 pontos à frente de Genoino

Eleições -

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) seria reeleito com 58% dos votos válidos, se a eleição fosse realizada hoje, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha nesta quarta-feira, 23 de outubro de 2002, a quatro dias do segundo turno, e um dia antes do último debate a ser realizado entre os candidatos ao governo do estado de São Paulo.

Alckmin tem uma vantagem de 16 pontos percentuais em relação a José Genoino (PT), que teria 42% dos votos válidos.

Ambos oscilaram dentro da margem de erro máxima para a pesquisa, que é de, no máximo, dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Em relação à pesquisa realizada na sexta-feira passada, dia 18 de outubro, Alckmin oscilou positivamente um ponto (atingia 57% dos votos válidos) e Genoino oscilou negativamente um ponto (obtinha 43%).

Segundo os dados oficiais do TSE o governador teve 38,28% e o petista 32,45% dos votos válidos no primeiro turno. Para o cálculo dos votos válidos o Datafolha excluiu os eleitores que pretendem votar em branco ou anular o voto e os que se declaram indecisos.

Considerando o total de entrevistados, Alckmin atinge 53% (oscilação positiva de um ponto percentual) e Genoino 38% (oscilação negativa de dois pontos) das intenções de voto.

O percentual de eleitores indecisos oscilou de 4% para 3% e a taxa dos que votariam em branco ou anulariam o voto oscilou de 4% para 5%.

Levando-se em consideração o total de entrevistados a pesquisa mostra que, em relação à pesquisa de sexta-feira passada, Geraldo Alckmin teve uma variação positiva de três pontos percentuais entre os eleitores com nível superior de escolaridade (passou de 53% para 56% das intenções de voto), enquanto José Genoino teve uma variação negativa percentualmente idêntica (foi de 42% para 39%).

Movimento similar ocorreu entre os eleitores com renda acima de R$ 2.000,00 ou dez salários mínimos. Nesse estrato Alckmin foi de 54% para 57%, enquanto Genoino passou de 41% para 37%.

Nas cidades localizadas na Região Metropolitana Alckmin foi de 54% para 57% e Genoino passou de 39% para 35% das intenções de voto. Nos municípios com mais de 150 mil eleitores Alckmin passou de 51% para 55% e Genoino de 41% para 37%.

Genoino, a exemplo do que ocorre com seu companheiro de partido e candidato à presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, vem tendo dificuldades para conquistar o eleitorado feminino. Entre as eleitoras Genoino passou de 36% para 33%, enquanto Alckmin foi de 55% para 58%. Entre os homens Alckmin permaneceu com 49% e Genoino oscilou de 44% para 43%.

A pesquisa mostra que a declaração de apoio do candidato derrotado ao governo de São Paulo, Paulo Maluf (PPB), a Genoino, feita esta semana, não trouxe votos para o petista. Entre os eleitores que declaram ter votado no pepebista no primeiro turno o percentual dos que afirmam que votarão em Alckmin no domingo oscilou de 55% na última sexta-feira, antes da declaração de apoio, para 57% hoje. A taxa dos que dizem que votarão em Genoino permaneceu em 34% e a dos que dizem que votarão nulo ou em branco oscilou de 6% para 4%. Se dizem indecisos 5% dos eleitores que declaram ter votado em Maluf no primeiro turno, percentual idêntico ao verificado na última pesquisa.

Considerando o voto declarado para presidente no primeiro turno verifica-se que o percentual de eleitores que dizem ter votado em Anthony Garotinho (PSB) e que votarão em Alckmin para governador no segundo turno passou de 66% no levantamento da última sexta-feira para 71% hoje. A taxa dos eleitores que votaram em Garotinho e que pretendem votar em Genoino caiu de 26% para 19%.

A pesquisa também mostra que cerca de um terço (31%) dos eleitores que pretendem votar em Lula para presidente optarão por Alckmin na disputa estadual; votarão em seu companheiro de partido, Genoino, 63%. Já entre os que pretendem votar em José Serra (PSDB) 89% optarão pelo peessedebista Alckmin e 7% pelo petista Genoino.

92% dos eleitores que têm um candidato ou pretendem anular o voto ou votar em branco se dizem totalmente decididos

A pesquisa do Datafolha mostra que, entre os eleitores que têm um candidato a governador ou pretendem votar em branco ou anular o voto o percentual dos que se dizem totalmente decididos quanto à sua opção no segundo turno chega a 92%; essa taxa era de 88% na última sexta-feira, 18 de outubro.

O percentual dos que afirmam que seu voto ainda pode mudar caiu de 12% para 8%.

Entre os eleitores que pretendem votar em Geraldo Alckmin a taxa dos que se dizem totalmente decididos é de 93%; entre os que pretendem votar em Genoino 92% se dizem totalmente decididos.

Dos eleitores que não escolheram um candidato a governador (que pretendem votar em branco, anular o voto ou se declaram indecisos) 18% afirmam que podem mudar.

A pesquisa mostra que, entre os eleitores que, hoje, pretendem votar em Alckmin e admitem mudar, 55% dizem que, nesse caso, optariam por Genoino; 37% afirmam que, em caso de mudança, votariam em branco ou anulariam o voto.

Dos que pretendem votar em Genoino mas admitem que ainda podem mudar 62% dizem que, em caso de mudança, optariam por Alckmin e 31% que votariam em branco ou anulariam o voto.

Faltando quatro dias do segundo turno, 19% dos eleitores paulistas ainda não sabem dizer, espontaneamente, o número que devem digitar para confirmar seu voto para governador. Do total de eleitores entrevistados 71% sabem dizer o número de seu candidato a governador; citam números incorretos 3%.

Dos eleitores que pretendem votar em Geraldo Alckmin 77% sabem que, no próximo domingo, devem digitar o número 45 na urna eletrônica para confirmar seu voto para governador (essa taxa era de 69% sexta-feira passada). Entre os eleitores de José Genoino 76% sabem que, para a confirmação de seu voto, devem digitar o número 13 (eram 71% na pesquisa anterior).

São Paulo, 23 de outubro de 2002.

Baixe esta pesquisa