Saltar para o conteúdo principal

A dez dias do segundo turno, Serra tem 51% e Marta 41% das intenções de voto

Eleições -

58% sabem nome do vice de Serra; maioria de eleitores de Maluf acham que ele agiu mal ao apoiar petista

Faltando dez dias para o segundo turno da eleição para prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB) continua na liderança, mas sua vantagem sobre Marta Suplicy (PT) é ligeiramente menor do que a que tinha há seis dias, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha nesta quinta-feira, 21 de outubro. Em relação ao levantamento anterior, realizado no dia 15, os dois candidatos oscilaram dentro da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais; Serra oscilou para baixo, de 52% para 51%, enquanto Marta oscilou para cima, de 40% para 41%. Dessa forma, a vantagem de Serra sobre Marta, que era de 12 pontos percentuais na última pesquisa, é hoje de 10 pontos.

O percentual dos que anulariam o voto ou votariam em branco oscilou de 4% para 5% e a taxa dos que se dizem indecisos permaneceu em 4%. Considerados apenas os votos válidos (excluídos os votos em branco, os votos nulos e os eleitores indecisos) Serra teria hoje 55% e Marta 45%.

A pesquisa mostra um possível reflexo do apoio declarado por Paulo Maluf (PP) à atual prefeita, semana passada. Entre os que declaram ter votado em Maluf no primeiro turno, o percentual dos que têm intenção de votar em Serra no segundo passou de 69% na pesquisa anterior para 66% hoje; a taxa dos que têm intenção de votar em Marta passou de 16% para 21%.

No entanto, a maioria (60%) dos eleitores que declaram ter votado em Maluf no primeiro turno, acham que ele agiu mal ao declarar seu apoio a Marta. Acham que ele agiu bem 28%.

Dos que votaram em Luiza Erundina (PSB), que se declarou neutra no segundo turno, 43% preferem o candidato do PSDB (eram 45% no levantamento anterior) e 36% optam pela petista (eram 38%).

A maior variação captada pela pesquisa se deu entre os eleitores com idade entre 16 e 25 anos, segmento no qual a intenção de voto em Serra caiu sete pontos percentuais, de 52% para 45%, enquanto a taxa dos que preferem Marta subiu seis, de 41% para 47%. Esse é o único estrato no qual a petista está numericamente à frente.

Entre os eleitores que não fazem parte da População Economicamente Ativa (PEA), como estudantes, donas de casa e aposentados, Serra perdeu quatro pontos (foi de 56% para 52%), enquanto Marta ganhou seis (passou de 34% para 40%).

Serra obtém maior vantagem sobre Marta entre os eleitores entre os que têm renda familiar mensal superior a dez salários mínimos (64% a 30%) e entre aqueles com escolaridade superior (58% a 34%). Entre os que têm escolaridade média, Serra tem uma vantagem de cinco pontos (48% a 43%) e entre os que têm renda familiar até cinco salários mínimos a diferença é de três pontos a seu favor (47% a 44%).

A rejeição a José Serra oscilou dois pontos para cima, tendo passado de 30% para 32% a taxa de eleitores da capital paulista que afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. A rejeição a Marta também oscilou para cima, de 44% para 45%.

A pesquisa também traz um dado que pode ser resultado dos ataques que a campanha de Marta vem fazendo ao candidato a vice na chapa de Serra, o deputado Gilberto Kassab (PFL), que foi secretário de Planejamento do governo Celso Pitta (1997-2000). O Datafolha indagou aos entrevistados o nome dos candidatos a vice nas chapas dos dois candidatos: 58% respondem corretamente o nome do vice de Serra, enquanto apenas 16% sabem dizer o nome do vice da candidata petista, Rui Falcão. Entre os que eleitores que têm intenção de votar no candidato do PSDB, a taxa dos que conhecem seu vice é de 60%, similar à verificada entre o total de entrevistados. Entre os que pretendem votar em Marta, 20% sabem que o nome de seu vice é Rui Falcão, taxa quatro pontos maior do que a verificada entre o total de eleitores.

A expectativa quanto ao vitorioso em 31 de outubro não se alterou em relação à pesquisa anterior: para 67% José Serra será eleito prefeito; acreditam na reeleição de Marta Suplicy 23%.

A dez dias da eleição, 11% dos eleitores da capital paulista afirmam que ainda não estão totalmente decididos e que seu voto pode mudar. Tanto entre os eleitores de Serra, quanto entre os de Marta, o percentual daqueles que ainda podem mudar é de 10%, e a taxa dos que se dizem totalmente decididos, de 90%.

Entre os que hoje votariam em Serra e não estão totalmente decididos, a taxa dos que afirmam que, em caso de mudança, dariam seu voto a Marta, passou de 54% para 66%. Entre os que hoje votariam em Marta, mas admitem mudar de ideia, a taxa dos que dizem que, caso isso aconteça, votariam em Serra, passou de 66% para 69%.

Entre os eleitores que votariam hoje em Marta Suplicy, 90% sabem o número (13) a ser digitado na urna eletrônica para confirmar seu voto no próximo dia 31. Entre os que votariam em Serra essa taxa é de 87%.

São Paulo, 22 de outubro de 2004

Baixe esta pesquisa