Saltar para o conteúdo principal

Na véspera do segundo turno, José Fogaça, com 57% dos votos válidos, está 14 pontos à frente de Maria do Rosário, que atinge 43%

Eleições -

Pesquisa concluída pelo Datafolha na véspera do segundo turno da eleição para prefeito de Porto Alegre mostra que, se a eleição fosse hoje, José Fogaça, do PMDB, estaria reeleito, com 57% dos votos válidos, taxa 14 pontos maior do que a que obtida por sua adversária, Maria do Rosário, do PT (43%).

A Justiça Eleitoral divulga os resultados oficiais da eleição com base nos votos válidos, excluindo brancos, nulos e abstenções. Para o cálculo destes votos, o Datafolha exclui da amostra, além dos votos brancos e nulos, os eleitores que se declaram indecisos.

Fogaça, que teve 43,85% dos votos válidos no primeiro turno, obtinha 57% dos votos válidos na primeira pesquisa realizada pelo Datafolha após a primeira etapa da eleição, nos dias 16 e 17 de outubro. O peemedebista oscilou para 58% na pesquisa seguinte, realizada nos dias 21 e 22. Maria do Rosário, que ficou com 22,73% dos válidos no primeiro turno, obtinha 43% dos votos válidos na primeira pesquisa do segundo turno e oscilou para 42% no levantamento seguinte. Em comparação com a pesquisa anterior, o percentual de intenção de voto no peemedebista oscilou um ponto para baixo, e a taxa da petista variou um ponto para cima. Variações dentro da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais, para cima ou para baixo.

Considerando o total de entrevistados, José Fogaça tinha 50% das intenções de voto na pesquisa dos dias 16 e 17 e oscilou para 51% no levantamento seguinte, taxa que mantém na véspera da eleição. Maria do Rosário tinha 37% na primeira pesquisa do segundo turno, manteve o percentual no levantamento seguinte e obtém hoje 38% das intenções de voto.

Não têm candidato 10% dos eleitores de Porto Alegre, dos quais 5% dizem que vão votar em branco ou anular o voto e percentual idêntico se declara indeciso.

O Datafolha ouviu 1858 eleitores a partir dos 16 anos de idade, nos dias 24 e 25 de outubro, e a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Na véspera da eleição, 49% dos eleitores que declaram ter votado em Manuela, candidata do PC do B que ficou em terceiro lugar no primeiro turno, com 15,35% dos votos válidos, afirmam que vão votar em Maria do Rosário para prefeita no domingo. Dizem que darão seu voto a Fogaça 38%. A candidata do PT também fica à frente do peemedebista entre os que declaram ter votado em Luciana Genro, do PSOL, que teve 9,22% dos válidos (44% a 32%). Fogaça supera a petista entre os eleitores que declaram ter votado em Onyx, do DEM, que obteve 4,91% dos votos válidos (49% a 27%).

O percentual de eleitores que pretendem votar em José Fogaça e que respondem corretamente o número que vão digitar na urna eletrônica para confirmar sua vontade no dia da eleição é de 86% - percentual idêntico ao registrado entre os eleitores que pretendem votar em Maria do Rosário.

Um dado da pesquisa mostra que há pouca chance de que Fogaça não seja reeleito no domingo. Chega a 94% a taxa de eleitores de Porto Alegre que dizem ter intenção de votar em um candidato, ou em branco, ou anular, e que se dizem totalmente decididos quanto a seu voto na véspera da eleição. Apenas 6% do total de entrevistados afirmam que seu voto ainda pode mudar. Entre os eleitores que têm intenção de votar em Maria do Rosário, 6% dizem que ainda podem mudar de idéia, dos quais 4% afirmam que, caso isso aconteça, votariam em José Fogaça. Entre os que pretendem votar no atual prefeito, 5% dizem que seu voto ainda pode mudar. Desses, 2% dizem que, nesse caso, dariam seu voto à candidata do PT.

José Fogaça e Maria do Rosário empatam em avaliação de desempenho em debate

O último debate entre os candidatos à prefeitura de Porto Alegre, transmitido pela TV RBS (afiliada da Globo) na sexta-feira, não teve um vencedor: para 44% dos eleitores que assistiram o programa, José Fogaça foi o candidato com melhor desempenho; Maria do Rosário foi considerada a melhor por 41% desses entrevistados. Em razão da margem de erro, ocorre empate entre o percentual dos que acham que Fogaça se saiu melhor e a taxa dos que consideram que Maria do Rosário foi a candidata com melhor desempenho.

As perguntas sobre o debate, incluídas na última pesquisa de intenção de voto do Datafolha, realizada nos dias 24 e 25 de outubro, foram feitas aos entrevistados que foram abordados no sábado, dia 25. Foram entrevistados 892 eleitores, e a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

O debate foi acompanhado por 42% dos eleitores entrevistados: 15% dizem ter assistido o programa na íntegra e 27% afirmam que viram pelo menos parte dele.

São Paulo, 25 de outubro de 2008.

Baixe esta pesquisa