Saltar para o conteúdo principal

Com 55%, Pezão lidera disputa pelo governo do Rio; Crivella tem 45%

Eleições -

Pesquisa Datafolha realizada com eleitores do Estado do Rio de Janeiro na véspera do 2º turno mostra que se a eleição estadual fosse hoje, Pezão (PMDB) seria reeleito governador. Na comparação com a pesquisa dos dias 22 e 23 de outubro, as taxas de intenção de voto dos candidatos permaneceram iguais. Pezão tem 55% dos votos válidos e Crivella (PRB) 45%, respectivamente, as mesmas taxas da pesquisa anterior. Para calcular esses votos são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declararam indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

Levando em conta o total de votos - incluindo brancos, nulos e indecisos -, Pezão tem 46% das intenções de voto e Crivella, 38% - respectivamente, as mesmas taxas do último levantamento. Brancos ou nulos alcançam 10% e indecisos 5%.

Nesse levantamento realizado entre os dias 24 e 25 de outubro de 2014, o Datafolha entrevistou 2.969 eleitores em 38 municípios do Estado do Rio de Janeiro. A margem de erro máxima é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, para o total da amostra.

Na véspera da eleição, 17% dos eleitores fluminenses não souberam informar o número do seu candidato, 77% informaram corretamente o número, 3% incorretamente e 4% não souberam qual número digitar para anular o voto.

O número do candidato Crivella é mais conhecido do que o número de Pezão. Entre os eleitores de Crivella, 82% informaram corretamente o número do candidato, 2% incorretamente e 16% não souberam dizer o número. Já, entre os eleitores de Pezão, 75% informaram corretamente, 4% incorretamente e 21% não souberam dizer o número.

Crivella segue o candidato mais rejeitado pelos eleitores fluminenses. Não votariam de jeito nenhum no candidato do PRB 43%, votariam com certeza 36% e talvez votassem 20%. Já, 37% não votariam de jeito nenhum no candidato do PMDB, 43% votariam com certeza e 20% talvez votassem.

BAIXE OS DADOS DESTA PESQUISA