Saltar para o conteúdo principal

Protesto reúne 210 mil na Paulista; entenda a metodologia de contagem

Opinião Pública -

A manifestação na Avenida Paulista na tarde do último domingo, 15 de março, reuniu 210 mil pessoas entre às 14h e 18h, segundo contagem realizada pelo Instituto Datafolha. Esse dado considera pessoas que passaram pela manifestação ao longo de todo o período analisado. O pico da manifestação, ou seja, o horário em que houve maior concentração de pessoas na avenida, ocorreu às 16h, quando 188 mil pessoas estavam na Paulista.

Para chegar a este resultado, o Datafolha realizou uma contagem que leva em conta a área a ser ocupada, a concentração média nessa área, e o número de pessoas que entraram no evento a cada hora. Isso foi feito de acordo com a seguinte metodologia:

- Medição da área ocupada a partir de um software de georreferenciamento. No protesto do último domingo, a área passível de ocupação foi calculada em 116 mil metros quadrados, levando em conta a exclusão da faixa central do canteiro - em obras por causa da ciclovia - em quase toda a avenida, com exceção da área de maior concentração, em frente ao Masp, onde o canteiro também foi ocupado pelos manifestantes e, portanto, incluído na contabilidade de público.

- A divisão em áreas menores dessa região, por quadra e faixa, para cálculo de densidade no próprio local. Esse trabalho foi realizado por uma equipe de 30 pesquisadores e coordenadores de campo. Os pesquisadores do instituto são responsáveis por informar a densidade em quadrantes previamente planejados, fornecendo uma média de densidade para cada subárea mapeada. Esse cálculo é importante porque há níveis diferentes de concentração ao longo da área ocupada.No espaço entre as ruas Peixoto Gomide e Pamplona, que abrange as proximidades do Masp, por exemplo, a densidade média tende a ser mais alta do que em outros locais, como a quadra entre as ruas Ministro Rocha Azevedo e Padre João Manuel. Por isso há medições diferentes, em áreas distintas, ao longo de todos os eventos em que esse tipo de contagem é feita.

- Aplicação de questionários para coleta de dados de perfil, opinião sobre temas relacionados à manifestação e horário de chegada no evento. Essa informação é usada para o cálculo do número de "entrantes" a cada hora, o que permite estimar o número de participantes persistentes - que participaram de toda a manifestação - os horários de pico de ocupação, e a taxa total de participantes, independente do horário em que estiveram presentes no evento.

A contagem realizada pelo instituto reuniu uma equipe de 60 pessoas, entre pesquisadores de campo, coordenadores, estatísticos e analistas.

Para saber mais sobre a metodologia Datafolha para contagem de multidões, veja o material já publicado sobre o tema (clique aqui para baixar).

-