Saltar para o conteúdo principal

Na véspera da eleição, Luizianne Lins (PT) tem 53% dos votos válidos

Eleições -

Na véspera da eleição do primeiro turno, a candidata do PT e atual prefeita Luizianne Lins obtém 53% dos votos válidos, contra 24% de Moroni (DEM), e 16% de Patrícia (PDT). Como a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, a taxa obtida por ela se situa entre 51% e 55% dos votos válidos, o que indica possibilidade de vitória no primeiro turno, uma vez que, para isso ocorrer, o candidato deve ter, no mínimo, 50% mais um, dos votos válidos.

Os demais candidatos, como verificado nos levantamentos anteriores, não conseguem atingir taxas expressivas: Renato Roseno (PSOL) teria hoje 5% dos votos válidos, e Pastor Neto (PSC) teria 2%, enquanto não alcançariam a taxa mínima (1%) Aguiar Jr. (PTC), Carlinhos (PCB), Adahil Barreto (PR) e Sérgio Braga (PPS), que substituiu Luiz Gastão, desistente.

Para calcular os votos válidos, o Datafolha exclui do total de menções a intenção de votos brancos e nulos, além do percentual de indecisos. Vale lembrar que este é o procedimento da Justiça Eleitoral, que divulga como resultado oficial apenas os votos válidos, excluindo os brancos, anulados e as abstenções de eleitores.

Quando se considera a total de menções na situação de voto estimulada, a atual prefeita tem 50% das menções, enquanto Moroni atinge 22%, e Patrícia, 15%. Na última pesquisa, realizada nos dias 25 e 26 de setembro, essas taxas eram, respectivamente, de 47%, de 22% e de 16%.

Reafirmam a intenção de votar em branco ou anular o voto 3% dos eleitores fortalezenses, e mostram-se indecisos outros 2%.

O Datafolha ouviu 1.846 eleitores da cidade de Fortaleza, nos dias 03 e 04 de outubro de 2008. A margem de erro máxima, para o total da amostra, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Na intenção de voto espontânea, 43% dos eleitores fortalezenses mencionam Luizianne, Moroni é citado por 18%, e Patrícia por 12%. Neste caso, somam 17% os que ainda não souberam confirmar sua intenção de voto, chega a 3% os que citaram o nome de Renato Roseno, e a 1% as menções a Pastor Neto, enquanto Aguiar Jr. e Adahil Barreto não alcançam 1% e Carlinhos e Sérgio Braga não são citados. Além desses, 3% pretendem anular ou votar em branco.

Embora os resultados da pesquisa indiquem probabilidade de decisão em primeiro turno a favor da atual prefeita, inquiridos sobre eventual segundo turno, caso este ocorresse hoje, 58% votariam para reeleger Luizianne, contra 36% que optariam por Moroni. Votariam em branco ou anulariam 5% dos eleitores, e 2% disseram-se indecisos ao serem questionados sobre a possibilidade.

87% dos eleitores de Luizianne conhecem seu número
Parcela idêntica se diz totalmente decidida quanto ao voto

De 60% em 05 e 06 de setembro, e de 71% nos dias 25 e 26, subiu para 77%, hoje, a parcela dos que mencionam corretamente o número a ser digitado na urna eletrônica.

Chega a 87% o conhecimento do número entre os eleitores de Luizianne (era de 82% há oito dias), atinge 75% entre os que declaram voto em Patrícia, e é de 70% entre os que se dizem eleitores de Moroni.

Também cresceu o número de eleitores que se dizem totalmente decididos em quem votar, de 75% no início do mês para 87% agora, com destaque para os que afirmam opção por Luizianne (91%), sendo de 86% entre os escolheram Moroni e 83% dos que pretendem votar em Patrícia.

É de 12% a parcela dos que ainda podem mudar seu voto, sendo que 4% têm a probabilidade de mudar seu voto para Luizianne, enquanto 3% podem vir a dar seu voto de confiança em Moroni, ou em Patrícia. Considerando o eleitorado de seus adversários, 9% dos que não estão totalmente decididos a votar em Patrícia afirmam que podem vir a mudar seu voto para Luizianne, parcela que chega a 7% entre os eleitores indecisos de Moroni.

São Paulo, 04 de outubro de 2008.

Baixe esta pesquisa