Saltar para o conteúdo principal

José Fogaça chega a 35% das intenções de voto; Maria do Rosário, com 19%, continua empatada com Manuela, que tem 18%

Eleições -

O atual prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, do PMDB, se mantém na liderança da disputa, com 35% das intenções de voto, segundo pesquisa realizada nos dias 25 e 26 de setembro, a nove dias do primeiro turno da eleição para prefeito. Em relação à pesquisa realizada nos dias 17 e 18, o candidato à reeleição, que tinha 33%, oscilou dois pontos para cima. O segundo lugar continua sendo disputado por Maria do Rosário, do PT, que oscilou de 18% para 19%, e Manuela, do PC do B, que se manteve com 18%. As candidatas empatam em razão da margem de erro, de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Luciana Genro, do PSOL, se manteve com 7% das intenções de voto. Onyx, do DEM, se manteve com 5%. Nelson Marchezan Junior, do PSDB, oscilou de 3% para 1% das preferências. Vera Guasso, do PSTU, atinge 1%, mesma taxa que obtinha no levantamento anterior. Carlos Gomes, que substituiu Rogowski como candidato do PHS, foi citado, mas não atingiu 1% das menções, da mesma forma que ocorria na semana passada.

Se a eleição para prefeito de Porto Alegre fosse hoje, 7% votariam em branco ou anulariam o voto; 8% não saberiam em quem votar.

Foram ouvidos 1036 eleitores da capital gaúcha, a partir dos 16 anos de idade.

No que se refere à intenção de voto espontânea, que investiga o voto do eleitor antes que ele tenha acesso ao cartão circular com os nomes dos candidatos, Fogaça oscilou de 26% para 28%. Maria do Rosário e Manuela também oscilaram positivamente, um ponto cada uma; ambas passaram de 12% para 13%.

Luciana Genro é citada espontaneamente por 5%, Onyx obtém 2% e Nelson Marchezan Junior e Vera Guasso atingem 1% de menções espontâneas, cada.

Fogaça vence adversárias em simulações de segundo turno

Se José Fogaça e Maria do Rosário se enfrentassem em um segundo turno, hoje, 53% dos eleitores de Porto Alegre votariam pela reeleição do atual prefeito, e 37% dariam seu voto à candidata do PT. Em relação ao levantamento anterior, a vantagem do peemedebista sobre a petista passou de 13 para 16 pontos percentuais.

Se a disputa fosse entre Fogaça e Manuela, o peemedebista teria hoje 50% do total de votos; a candidata do PC do B receberia o voto de 38% (vantagem de 12 pontos para o atual prefeito). Na pesquisa anterior, Fogaça tinha 48% das preferências, nove pontos a mais do que a deputada comunista, que atingia 39%.

Taxas de rejeição a Maria do Rosário e a Manuela oscilam para cima

Os candidatos que ocupam os três primeiros lugares na disputa continuam empatados no ranking de rejeição, apesar de oscilações para cima nas taxas das candidatas do PT e do PC do B. O percentual de eleitores de Porto Alegre que afirmam que não dariam seu voto a José Fogaça de forma alguma no primeiro turno da eleição oscilou de 22% na pesquisa anterior para 21% hoje. A taxa dos que não votariam em Maria do Rosário oscilou de 20% para 23%, recorde negativo para a petista nessa série de pesquisas. A rejeição a Manuela oscilou de 19% para 22%, assim como no caso da petista, recorde negativo.

A taxa dos que não votariam de jeito nenhum em Onyx no primeiro turno da eleição, que havia caído, voltou a subir, de 18% para 22%.

O percentual de rejeição a Vera Guasso, líder nesse ranking, subiu de 27% para 32%, sua pior marca até o momento.

Não votariam de jeito nenhum em Carlos Gomes 15%, mesmo percentual dos que rejeitam Nelson Marchezan Junior. Votariam em qualquer um dos candidatos 7%, e não votariam em nenhum deles 4%.

Baixe esta pesquisa