Saltar para o conteúdo principal

José Fogaça continua em primeiro, com 33%; Maria do Rosário e Manuela empatam em segundo, com 18% cada

Eleições -

Pesquisa concluída pelo Datafolha a 17 dias do primeiro turno das eleições municipais mostra que o atual prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, do PMDB, atinge 33% das intenções de voto, e se mantém na liderança da disputa. O segundo lugar continua sendo disputado por Maria do Rosário, do PT, com 18%, e Manuela, do PC do B, com percentual idêntico ao obtido pela petista.

O líder José Fogaça é, entre os candidatos a prefeito de Porto Alegre, o único que ganhou pontos após o início do horário eleitoral. A pesquisa realizada nos dias 23 e 24 de julho mostrava Fogaça com 29% das intenções de voto. Ele oscilou para 31% na pesquisa realizada nos dias 21 e 22 de agosto, a primeira após o início da transmissão dos programas, no dia 19. O peemedebista foi a 34% no levantamento dos dias 4 e 5 de setembro e oscilou para 33% hoje.

Maria do Rosário tinha 20% na pesquisa de julho, manteve esse índice um mês depois, oscilou para 17% no começo de setembro e tem hoje 18%.

Manuela atingia 18% no final de julho, oscilou para 19% em agosto, voltou a oscilar, para 17%, no começo deste mês, e volta a 18% hoje.

Luciana Genro, do PSOL, oscilou de 6% das intenções de voto no começo do mês para 7% hoje. Onyx, do DEM, se manteve com 5% e Nelson Marchezan Junior, do PSDB, que atingia 1% na pesquisa anterior, chega agora a 3% das intenções de voto. Vera Guasso, do PSTU, atinge 1%. Carlos Gomes, que substituiu Rogowski como candidato do PHS, foi citado, mas não atingiu 1% das menções.

Se a eleição para prefeito de Porto Alegre fosse hoje, 6% votariam em branco ou anulariam o voto; 9% se declaram indecisos.

Foram ouvidos 848 eleitores da capital gaúcha, a partir dos 16 anos de idade, nos dias 17 e 18 de setembro de 2008. A margem de erro máxima é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Fogaça também é o candidato que vem ganhando mais pontos no que diz respeito à intenção de voto espontânea, que investiga a vontade do eleitor antes que lhe seja apresentado o cartão circular com os nomes dos candidatos. Em julho, 12% diziam espontaneamente que pretendiam votar pela reeleição do atual prefeito. Na primeira pesquisa após o início do horário eleitoral, essa taxa subiu para 17%, e no início de setembro, foi a 25%. Hoje, 26% dizem de maneira espontânea que vão votar no peemedebista, taxa 14 pontos maior do que a registrada na primeira pesquisa.

O percentual dos que citam Maria do Rosário espontaneamente era de 8% no final de julho, quatro pontos menor do que a registrada hoje (12%).

A taxa dos que citam Manuela espontaneamente, hoje, também é de 12%, cinco pontos maior do que a que obtinha no primeiro levantamento (7%).

José Fogaça vence adversárias em simulação de segundo turno

Se fosse realizado um segundo turno entre José Fogaça e Maria do Rosário, no dia em que a pesquisa foi concluída, 51% dos eleitores de Porto Alegre votariam no atual prefeito, ante 38% que dariam seu voto à candidata do PT; vantagem de 13 pontos para o candidato à reeleição.

Levantamento realizado nos dias 21 e 22 de agosto mostrava empate técnico entre a petista (44%) e o peemedebista (42%). Na pesquisa dos dias 4 e 5 de setembro, Fogaça superou a adversária, ficando 13 pontos à frente (49% a 36%), como ocorre hoje

Se a adversária em um hipotético segundo turno realizado hoje fosse Manuela, Fogaça teria hoje 48% do total de votos; a candidata do PC do B obteria 39%. Na pesquisa de agosto, o atual prefeito e a deputada comunista empatavam, com 42%, cada. No início de setembro, ele atingia 46%, e ela era a preferida de 39%.

Fogaça, Maria do Rosário e Manuela empatam em ranking de rejeição

No que se refere à rejeição aos candidatos a prefeito, a pesquisa mostra estabilidade, com uma única exceção: a taxa dos que não votariam de jeito nenhum em Onyx no primeiro turno da eleição caiu de 24% para 18%.

Os candidatos que ocupam os três primeiros lugares na disputa empatam nesse ranking. O percentual de eleitores de Porto Alegre que afirmam que não dariam seu voto a José Fogaça de forma alguma no primeiro turno da eleição é hoje de 22%, percentual similar ao registrado na pesquisa realizada nos dias 4 e 5 de setembro (21%). A taxa dos que não votariam em Maria do Rosário se manteve em 20% e a dos que rejeitam Manuela variou de 17% para 19%.

Vera Guasso continua sendo a candidata com maior taxa de rejeição: 27% não votariam de jeito nenhum na candidata do PSTU, taxa que era de 29% no levantamento anterior.

Não votariam de jeito nenhum em Carlos Gomes 14% e descartam Nelson Marchezan Junior 13%. Votariam em qualquer um dos candidatos 7%, e não votariam em nenhum deles 5%.

São Paulo, 18 de setembro de 2008

Baixe esta pesquisa