Saltar para o conteúdo principal

Pela Presidência, Bolsonaro tem 56% dos válidos, contra 44% de Haddad

Eleições -

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) se mantém na dianteira pela Presidência da República, mas chega aos últimos dias da disputa com a menor vantagem sobre Fernando Haddad (PT) desde o início da campanha de 2º turno. Com 56% dos votos válidos, o capitão reformado tem agora 12 pontos de vantagem sobre o ex-prefeito de São Paulo, que aparece com 44%. Em pesquisa realizada na última semana, a distância em favor do candidato do PSC era de 18 pontos percentuais (59% a 41%).

Quando se considera todo o eleitorado, Bolsonaro tem 48%, e Haddad fica com 38%, com os demais se dividindo entre votos em branco ou nulos (8%) e eleitores indecisos (6%). Na comparação com o levantamento da semana passada, o militar reformado oscilou negativamente (tinha 50%), e o ex-prefeito de São Paulo oscilou (tinha 35%), com o índice de indecisos estável.

O ex-prefeito de São Paulo avançou com mais intensidade entre os mais jovens, segmento no qual cresceu de 39% para 45%, índice que o coloca empatado com Bolsonaro, que caiu de 48% para 42%. Na faixa seguinte, de 25 a 34 anos, o petista passou de 35% para 39%, mas permanece abaixo do candidato do PSL, que oscilou de 50% para 49%. Entre eleitores com ensino médio, Haddad avançou de 31% para 35%, enquanto seu adversário oscilou de 53% para 51%. O petista também ganhou pontos entre eleitores mais ricos (passou de 26% para 29% entre quem tem renda familiar de 5 a 10 salários, e de 24% para 32% na parcela com renda superior a 10 salários), porém sem ameaçar a preferência majoritária de seu adversário nesses segmentos. Na região Norte, o candidato do PT cresceu de 30% para 37%, enquanto o militar reformado passou de 58% para 53%. A única região em que Haddad lidera, porém, continua sendo o Nordeste, onde tem a preferência de 56%, ante 30% de seu adversário.

Entre os que pretendem votar em Bolsonaro, 94% sabem seu número de urna, índice que fica em 93% no eleitorado de Fernando Haddad. Os eleitores de ambos também têm índices de decisão de voto similares: 94% estão totalmente decididos sobre a opção pelo candidato do PSL, e 91%, pelo petista. Na fatia dos que declaram voto em branco ou nulo, 22% ainda podem mudar de ideia até a votação.

A taxa dos que não votariam de jeito nenhum em Haddad passou 54% para 52% desde a última semana, enquanto a de seu adversário foi de 41% para 44%. Uma parcela de 37% votará com certeza no candidato do PT, e 9% admitem essa possibilidade. O voto no candidato do PSL é mais consolidado: 46% votarão com certeza, e 9% ainda podem escolhê-lo até o próximo domingo.

Baixa a pesquisa completa