Saltar para o conteúdo principal

Área da saúde e gestão da pandemia dão destaque a Covas

Eleições -

Em uma série de questões sobre o preparo dos candidatos para lidar com temas da cidade, o prefeito Bruno Covas se destaca no combate à pandemia e na área da saúde, enquanto Celso Russomanno se sobressai como defensor dos mais ricos e proponente de promessas que não pode cumprir.

Para 34% dos eleitores, Covas é o mais preparado para ser prefeito, de modo geral. Na sequência aparecem Russomanno (14%), Marcio França (14%), Guilherme Boulos (12%) e Jilmar Tatto (5%), entre outros menos citados. Para 8%, nenhum deles é preparado para o cargo, e 4% não responderam.

O prefeito também é visto como o mais realizador por 32%, seguido por Russomanno (13%), França (12%), Boulos (9%) e Tatto (6%). Uma parcela de 12% não considera nenhum deles realizador, e 10% não opinaram.

Uma parcela de 25% acredita que o tucano é o mais preparado para lidar com a área de transporte, e Tatto (12%), França (12%), Boulos (10%) e Russomanno (9%) surgem na sequência. Para 9%, nenhum deles tem preparo para cuidar dos transportes na capital paulista, e 12% não responderam.

Para cuidar da educação, 28% veem Covas como o mais preparado. Ele é seguido por Boulos (13%), França (12%), Russomanno (10%) e Tatto (6%). Uma parcela de 11% acredita que nenhum deles é preparado, e 9% não responderam.

O atual prefeito é apontado por 37% como o mais preparado para cuidar da área da saúde, índice superior a suas intenções de voto (28%). Para 11%, Marcio França é o mais preparado para gerir esta área, no mesmo patamar dos que indicam Boulos (10%) e Russomanno (10%), com Tatto a seguir (5%). Para 11%, nenhum deles tem preparo para cuidar da saúde, e 9% não opinaram.

Uma parcela de 42% também vê o tucano como o mais preparado para combater a pandemia do coronavírus, e Russomanno (9%), Boulos (9%) e França (8%) aparecem na sequência. Há 16% que não enxergam em nenhum dos candidatos preparo para lidar com a pandemia, e 7% preferiram não responder. Entre os eleitores de Russomanno, 19% apontam Covas como o mais preparado para combater o coronavírus, índice que fica em 24% no eleitorado de Boulos e em 31% entre quem pretende votar em França.

Para 29%, Russomano é o candidato que, se eleito, mais defenderá os mais ricos. Para 24%, esse candidato é Bruno Covas, e num patamar inferior aparecem Matarazzo (6%) e França (5%). Para 5%, todos defenderão os mais ricos, e 14% não opinaram.

Na questão sobre quem mais defenderá os mais pobres, 21% apontam Boulos, 19%, Covas, e 17%, Russomanno. O candidato do PSB, Marcio França, é apontado por 8%, e 7% indicam Tatto. Para 13%, nenhum deles defenderá os mais pobres, e 7% não opinaram. Na parcela que tem o PT como partido preferido (18% do eleitorado), 21% acreditam que o candidato do PSOL é aquele que mais defenderá os mais pobres se eleito, índice próximo aos que apontam Russomanno (19%) e no mesmo patamar de Tatto (25%).

Três em cada dez eleitores da capital paulista (31%) veem Russomanno como o candidato que mais faz promessas que não pode cumprir, e em seguida aparecem Covas (14%), Joice (7%) e Boulos (6%), entre outros. Uma parcela de 14% avalia que todos fazem promessas que não podem cumprir, e 9% não responderam.

Baixa a pesquisa completa