Saltar para o conteúdo principal

Avaliação do governo Lula se mantém estável; Taxa de reprovação entre os que viajam de avião é o dobro da média nacional

Opinião Pública -

A primeira pesquisa realizada pelo Datafolha após o acidente com avião da TAM que matou 199 pessoas em Congonhas, no dia 17 de julho, e que agravou a crise no setor aéreo, mostra que a avaliação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se mantém estável. O percentual de brasileiros que acham que Lula está fazendo um governo ótimo ou bom é de 48%, idêntica à registrada em março deste ano. A taxa dos que consideram o desempenho do presidente regular oscilou, dentro da margem de erro de dois pontos percentuais, de 37% para 36%. Também foi registrada oscilação, dentro da margem de erro, na taxa dos que classificam o governo do líder petista como ruim ou péssimo: ela foi de 14% para 15%.

Foram ouvidos 2095 brasileiros, em 211 municípios, nos dias 1 e 2 de agosto, e a margem de erro máxima, para os resultados que se referem ao total de entrevistados, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Os reflexos de mais dez meses de crise aérea na avaliação de Lula são perceptíveis entre os brasileiros que declaram viajar de avião, mesmo que de vez em quando, e que representam 8% do total de entrevistados. Nesse segmento, o percentual dos que consideram o desempenho do presidente ótimo ou bom é de 29%, ou seja, 19 pontos inferior à registrada entre o total de entrevistados (48%). Já a taxa dos que definem o governo como ruim ou péssimo é de 30%, o dobro da que se verifica na média nacional (15%). Para 40% desses brasileiros, Lula vem fazendo um governo regular (36% entre o total de entrevistados). Entre os que não viajam de avião, os resultados são similares aos da média do país: 50% aprovam, 14% reprovam e 35% consideram regular a atuação do presidente.

A variação mais significativa na avaliação do presidente ocorreu entre os brasileiros com renda familiar mensal acima de 10 salários mínimos, segmento no qual 39% costumam viajar de avião, taxa cinco vezes maior do que verificada entre o total de entrevistados. Nesse segmento, o percentual dos que aprovam Lula, isto é, consideram seu desempenho ótimo ou bom, caiu sete pontos percentuais, passando de 39% para 32%. Em contrapartida, a taxa dos que reprovam o desempenho do presidente subiu seis pontos, de 26% para 32%.

Entre os que têm nível superior de escolaridade, a variação mais expressiva foi registrada no percentual dos que acham o governo regular, que caiu de 42% para 34%. Essa variação reflete mudanças na taxa dos que acham que o presidente tem um desempenho ruim ou péssimo, que foi de 24% para 29%, e na dos que acham que ele vem sendo ótimo ou bom, que passou de 33% para 36%.

Entre os brasileiros que moram na região Sul, a percepção de que Lula vem fazendo um governo regular caiu oito pontos (de 46% para 38%), sendo acompanhada de variações positivas tanto na taxa dos que acham que seu desempenho é ótimo ou bom (de 36% para 42%) quanto na dos que o classificam como ruim ou péssimo (de 18% para 21%).

Seguem aprovando Lula, em sua maior parte, os brasileiros que moram no Nordeste (59%), os moradores de cidades localizadas no interior (53%), os que têm escolaridade fundamental (55%) e os que têm renda familiar mensal até cinco salários mínimos (52%).

A nota média que os brasileiros dão para o desempenho do governo Lula, em uma escala de zero a dez, é hoje 6,7, idêntica à que ele obtinha em março. A nota média para Lula é 5,4 entre os que costumam viajar de avião e 6,8 entre os que não fazem viagens aéreas.

Baixe esta pesquisa