Saltar para o conteúdo principal

Aprovação a Lula cai de 70% em novembro para 65% hoje

Opinião Pública -

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua sendo aprovado pela maioria da população brasileira. No entanto, o percentual de brasileiros que o aprovam caiu cinco pontos percentuais de novembro para hoje, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha. O desempenho de Lula é considerado ótimo ou bom por 65%. No levantamento anterior o petista era aprovado por 70%, recorde obtido por um presidente desde que o Datafolha começou a fazer pesquisas nacionais de avaliação do governo Federal, em 1990.

Nesse período, a taxa dos que consideram o desempenho do presidente regular passou de 23% para 27%. O percentual dos que acham que ele está sendo ruim ou péssimo oscilou de 7% para 8%, variação dentro da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A avaliação do governo Lula, hoje, é semelhante à que obtinha em setembro do ano passado, quando era aprovado por 64%, considerado regular por 28% e definido como ruim ou péssimo por 8%.

A nota atribuída a Lula pelos brasileiros, em uma escala de zero a dez, é 7,4. Em novembro do ano passado, ele recebia nota 7,6.

O Datafolha ouviu 11.204 brasileiros, a partir dos 16 anos de idade, entre os dias 16 e 19 de março de 2009.

O percentual de aprovação a Lula caiu nove pontos entre os brasileiros que moram nas regiões Norte e Centro-Oeste, passando de 73% para 64%. O presidente continua obtendo sua maior taxa de aprovação no Nordeste, embora tenha perdido quatro pontos na região (passou de 81% para 77%). No Sudeste, a taxa dos que consideram o desempenho do petista ótimo ou bom caiu seis pontos percentuais (de 66% para 60%). No Sul, região na qual Lula obtém menor taxa de aprovação, foi registrada variação dentro da margem de erro (de 59% para 57%).

Entre os que moram em cidades localizadas no interior, a queda no percentual de aprovação foi de seis pontos percentuais (de 73% para 67%). Já entre os que residem em regiões metropolitanas, a taxa dos que aprovam o presidente passou de 64% para 61%.

Quando se leva em consideração a renda familiar mensal dos entrevistados, verifica-se que Lula perdeu pontos nas três faixas em que a amostra é segmentada. Entre os que têm renda até cinco salários mínimos, a taxa de aprovação ao presidente passou de 71% para 66%. Entre os que ganham entre cinco e dez salários mínimos, ela passou de 67% para 62%, e, entre os que vivem com rendimentos acima de dez salários mínimos, ela foi de 63% para 58%.

No que diz respeito à escolaridade, Lula perdeu sete pontos percentuais entre os brasileiros que chegaram ao ensino médio (a aprovação caiu de 69% para 62%) e quatro pontos entre os que têm escolaridade fundamental (passou de 72% para 68%). Entre os que têm escolaridade superior, a aprovação se manteve idêntica à registrada em novembro (64%) e a reprovação caiu de 12% para 8%.

Baixe esta pesquisa