Saltar para o conteúdo principal

Largo da Batata reuniu 65 mil, a maioria novatos na onda de protestos

Opinião Pública -

A manifestação contra o reajuste da tarifa do ônibus da última segunda-feira, 17, reuniu 65 mil pessoas no Largo da Batata, local de concentração do evento. Essa estimativa de público se refere somente à região onde os manifestantes se concentraram, antes que começassem a andar e tomassem outros vias da cidade.

O perfil dos manifestantes traçada pelo Datafolha mostra que, na concentração do protestos, estavam reunidos principalmente homens (63%), de até 25 anos (53%) e com nível superior de ensino, completo ou incompleto (77%). A maioria (71%) deles participava pela primeira vez da série de protestos contra a tarifa de ônibus que tem ocorrido nas últimas semanas na cidade de São Paulo.

Consultados sobre os motivos que os levaram até o protesto, 56% mencionaram a posição contrária ao aumento da passagem. Uma parcela de 40% disse estar no evento para protestar contra a corrupção, 31%, contra a repressão/violência policial e 27% mencionaram estar no protesto por um transporte de melhor qualidade, entre outros motivos citados.

A soma dos motivos registrados ultrapassam 100% porque os manifestantes puderam citar mais de um motivo.

Segundo 93% dos manifestantes, as redes sociais foram a principal fonte de informação sobre as manifestações. Destaca-se, neste caso, o Facebook, utilizado por 81% como principal fonte de informação sobre os protestos.

Nesse levantamento foram realizadas 766 entrevistas com margem de erro máxima 4 pontos percentuais para mais ou para menos considerando um nível de confiança de 95%. Isto significa que se fossem realizados 100 levantamentos com a mesma metodologia, em 95 os resultados estariam dentro da margem de erro prevista.

Baixe esta pesquisa