Saltar para o conteúdo principal

Eleitores se dividem sobre TSE no caso de campanhas no Whtasapp

Opinião Pública -

A maioria dos eleitores brasileiros (61%) tomou conhecimento da reportagem da Folha de S. Paulo, publicada na semana passada, a respeito da compra de pacotes de envio de mensagens contrárias ao PT disparadas pelo WhatsApp, por parte de algumas empresas apoiadoras à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL). Dessa parcela, 26% declararam estar bem informados sobre o tema, 26%, mais ou menos informados e 9% mal informados. Uma parcela de 39% não tomou conhecimento - esse índice é mais alto entre os menos instruídos (52%) e entre os mais pobres (48%).

A taxa de conhecimento da denúncia é próximo tanto entre os eleitores de Bolsonaro (61%) quanto entre os eleitores de Haddad (65%).

Nesse levantamento, nos dias 24 e 25 de outubro de 2018, foram realizadas 9.137 entrevistas presenciais com eleitores, em 341 municípios de todas as regiões do país. A margem de erro máxima é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, para o total da amostra.

Para um terço (32%), Bolsonaro tem responsabilidade sobre o disparo das notícias contra Fernando Haddad (PT) pelo WhatsApp (entre os eleitores de Haddad o índice sobe para 51%), já para 43%, o deputado não tem responsabilidade (entre os eleitores de Bolsonaro o índice sobe para 58%) e 25% não opinaram. Entre os que tomaram conhecimento da denúncia, 38% avaliam que Bolsonaro tinha controle das notícias disparadas contra o PT, 48% que o ex-capitão não tinha controle e 14% não opinaram.

Os eleitores também estão divididos quanto à atitude do TSE em relação à denúncia. Para 39%, o TSE está dando atenção na medida certa, para 37%, menos atenção do que deveria e 11%, mais atenção do que deveria. Uma parcela de 14% não opinou. Entre os que tomaram conhecimento da denúncia, os índices são próximos, respectivamente, 41% para dando atenção na medida certa, 41% para menos atenção do que deveria, 11% para mais atenção do que deveria e 7% não opinaram.

Na análise por intenção de voto, 47% dos eleitores de Bolsonaro avaliam que o TSE está dando atenção na medida certa à denúncia, já entre os eleitores de Haddad, 48% avaliam que o TSE está dando menos atenção do que deveria.

Baixa a pesquisa completa