Saltar para o conteúdo principal

70% se opõem a Bolsonaro indicar filho para embaixada nos EUA

Opinião Pública -

A indicação de Eduardo Bolsonaro (PSL) para embaixador do Brasil nos EUA por Jair Bolsonaro é avaliada negativamente pela a maioria da população. Sete em cada dez brasileiros adultos (70%) declararam que o presidente está agindo mal ao indicar seu filho para o cargo, para 23%, o presidente está agindo bem, para 1%, não está agindo bem nem mal e 5% não opinaram.

A insatisfação com a indicação de Eduardo Bolsonaro é majoritária em todos os segmentos, com exceção dos simpatizantes do PSL (64%) e entre os que aprovam o Governo Federal (54%). A taxa de insatisfação é mais alta entre os que reprovam o Governo Federal (92%) e entre os simpatizantes do PT (89%).

Nesse levantamento, entre os dias 29 e 30 de agosto de 2019, foram realizadas 2.878 entrevistas presenciais em 175 municípios de todas as regiões do país. A margem de erro máxima no total da amostra é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A maioria avalia de forma negativa as ações dos filhos de Bolsonaro para o governo, para 70%, os filhos do presidente mais atrapalham do que ajudam o governo de Jair Bolsonaro. Para 18%, os filhos ajudam mais do que atrapalham, para 3% não os filhos não ajudam e nem atrapalham e 9% não opinaram.

A avaliação que os filhos do presidente mais atrapalham do que ajudam o governo alcança índices mais altos entre os mais ricos (80%), entre os simpatizantes do PT (84%) e entre os que reprovam a administração Bolsonaro (87%). Entre os que aprovam o governo Bolsonaro, as opiniões ficaram divididas: 44% avaliaram que os filhos mais atrapalham do que ajudam, 41% que os filhos mais ajudam do que atrapalham, para 3%, não ajudam e nem atrapalham e 9% não opinaram. Por outro lado, a avaliação que os filhos do presidente mais ajudam do que atrapalham o governo alcança índices mais altos entre os evangélicos (24%) e entre os simpatizantes do PSL (65%).

Baixa a pesquisa completa