Saltar para o conteúdo principal

60% são favoráveis a fechamento total para conter coronavírus

Opinião Pública -

Pesquisa Datafolha mostra que a maioria (60%) dos brasileiros adultos que possuem celular é favorável à implementação do lockdown a fim de diminuir o avanço da pandemia do coronavírus no país. Uma fração de 36% se posicionou contrária ao lockdown,1% é indiferente e 2% não opinaram.

O apoio ao lockdown é mais alto entre as mulheres (68%), entre os mais jovens (72%), entre os moradores da região Nordeste (69%) e entre os que reprovam o governo de Jair Bolsonaro (79%). Enquanto a reprovação alcança índices mais altos entre os homens (45%), entre os mais instruídos (41%), entre os mais ricos (50%), entre os empresários (55%) e entre os que aprovam a administração Bolsonaro (61%).

Nesse levantamento, nos dias 25 e 26 de maio de 2020, foram realizadas 2.069 entrevistas por telefone, com brasileiros de 16 anos ou mais, que possuem celulares, de todas as regiões do país. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos considerando um nível de confiança de 95%.

Segue majoritária (65%) a fração que avalia que no momento o mais importante é que as pessoas fiquem em casa a fim de evitar a disseminação do coronavírus, mesmo que isso prejudique a economia e cause desemprego (era 67% no fim de abril). Porém, o índice vem recuando, na primeira semana de abril era 76%. Em contrapartida, vem crescendo aos poucos a parcela que avalia um quarto (28%) avalia que no momento o mais importante é acabar com o isolamento das pessoas a fim de estimular a economia e impedir o desemprego, mesmo que isso contribua para a disseminação do coronavírus (era 25% na última semana de abril e 18% na primeira semana de abril). Uma parcela de 7% não opinou (era 8% no fim de abril).

A avaliação que no momento o isolamento social é a medida mais importante para conter o avanço do coronavírus é majoritária em todos os segmentos sociodemográficos. O apoio ao isolamento é mais alto entre os que têm 16 a 24 anos (81%) e entre os moradores da região Nordeste (76%).

Baixa a pesquisa completa