Saltar para o conteúdo principal

Isolamento social cai para menor nível desde início da pandemia

Opinião Pública -

Pesquisa Datafolha mostra que os níveis de isolamento social recuaram para o patamar mais baixo da série histórica. A parcela que está totalmente isolada ou sai de casa somente quando é inevitável recuou 12 pontos percentuais de junho a agosto, passou de 63% para 51%. Desses, 8% não saem de casa de jeito nenhum (era 12% em junho) e 43% saem de casa somente quando muito necessário (era 51%). Uma parcela de 44% declarou que sai de casa para trabalhar ou fazer outras atividades (era 34%) e 6% saem de casa normalmente, sem alterar a rotina (era 3%) - ambos os índices são os mais altos da série.

Entre os que têm 60 anos ou mais e fazem parte do grupo de risco, 15% estão totalmente isolados, esse índice alcançou 36% no início da pandemia.

A saída de casa somente quando inevitável alcança índices mais altos entre as mulheres (54%, ante 30% entre os homens) e entre os mais velhos (57%, ante 35% entre os que têm 25 a 34 anos). Por fim, a saída de casa para ir ao trabalho e outras atividades alcança índices mais altos entre os homens (56%, ante 32% entre as mulheres), entre os que têm 25 a 34 anos (53%), entre os empresários (71%), entre os trabalhadores registrados (70%), entre os trabalhadores sem registro (79%) e entre os funcionários públicos (61%).

Entre os que aprovam o desempenho do presidente, 49% estão tomando cuidado, mas saindo de casa para trabalhar e outras atividades. Entre os que utilizam raramente máscara, 20% estão vivendo normalmente, sem isolamento.

Nesse levantamento, entre os dias 11 e 12 de agosto de 2020, foram realizadas 2.065 entrevistas por telefone com brasileiros de 16 anos ou mais, que possuem celulares, de todas as regiões do país. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos considerando um nível de confiança de 95%.

Baixa a pesquisa completa