Saltar para o conteúdo principal

Serra e Marta, com 35%, cada, dividem liderança em São Paulo

Eleições -

Faltando uma semana para o primeiro turno da eleição para prefeito de São Paulo, o candidato do PSDB, José Serra, e a atual prefeita e candidata à reeleição, Marta Suplicy (PT), empatam na liderança da disputa, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha nesta sexta-feira, 24 de setembro. Serra e Marta obtêm 35% das intenções de voto, cada. Em relação à pesquisa anterior, realizada no último dia 17, há uma semana, o peessedebista oscilou negativamente dois pontos percentuais, enquanto a petista oscilou positivamente na mesma proporção.

Dessa forma, não ocorre mais a situação de empate técnico, com maior probabilidade de Serra estar à frente, que persistia nas duas últimas pesquisas, nas quais o peessedebista atingia 37% e a petista obtinha 33% das intenções de voto.

O Datafolha ouviu 1726 eleitores que moram na cidade de São Paulo. A margem de erro máxima da pesquisa, para o total da amostra, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A intenção de voto em Paulo Maluf (PP) oscilou de 11% para 12%, e Luiza Erundina (PSB) manteve os 4% obtidos nas duas últimas pesquisas.

Vêm a seguir os candidatos Francisco Rossi (PHS), com 2%, Paulinho (PDT) e Ciro (PTC), com 1% das intenções de voto, cada. Doutora Havanir (PRONA), Dirceu Travesso (PSTU), João Manuel (PSDC), Osmar Lins (PAN), Penna (PV) e Professor Walter Canoas (PCB) foram citados, mas não atingiram 1%. Anaí Caproni (PCO) não foi citada por nenhum dos entrevistados. Anulariam o voto 4% e não saberiam em quem votar 5% dos entrevistados.

Se a eleição fosse hoje, Serra e Marta teriam 38% dos votos válidos, cada, e disputariam o segundo turno. Para o cálculo dos votos válidos são excluídos da amostra os entrevistados que afirmam que votariam em branco, os que anulariam o voto e os que se declaram indecisos.

Serra e Marta também empatam numericamente quando se trata da intenção de voto espontânea, que é investigada antes que seja apresentado ao entrevistado um cartão circular com os nomes de todos os candidatos a prefeito. Ambos são citados espontaneamente por 28% dos eleitores da capital paulista. Há uma semana, a peessedebista e o petista atingiam, cada um, 26% das menções espontâneas.

A intenção de voto espontânea em Maluf se manteve em 8% e a taxa dos que citam Luiza Erundina espontaneamente oscilou de 2% para 3%.

A taxa dos que não sabem dizer, de maneira espontânea, em quem pretendem votar para prefeito no dia 3 de outubro oscilou de 29% para 27% e o percentual de entrevistados que pretendem votar em branco ou anular o voto variou de 5% para 4%.

*Serra amplia vantagem entre eleitores com maior renda e mais escolarizados;*
Marta supera peessedebista entre eleitores com menor renda e cresce entre mais jovens e mulheres

A pesquisa mostra que Serra ampliou sua vantagem sobre Marta entre os eleitores com renda familiar mensal superior a 10 salários mínimos e entre os que têm escolaridade superior. Entre os de maior renda, o peessedebista passou de 44% para 48% das intenções de voto, o dobro da taxa obtida por Marta, que, nesse segmento, passou de 27% para 24% das preferências. Entre os mais escolarizados, a intenção de voto em Serra foi de 41% para 46%, enquanto a taxa dos que preferem Marta passou de 29% para 27%.

Já entre os eleitores com renda familiar até cinco salários mínimos por mês, Marta, com 38%, supera Serra, que tem 31% das intenções de voto. Há uma semana, ocorria empate, com o peessedebista numericamente à frente (35% a 34%). Entre os que têm escolaridade fundamental persiste um empate, mas ocorre uma inversão numérica: Marta passou de 33% para 35%, enquanto Serra oscilou de 35% para 32%.

Ocorre algo semelhante entre os eleitores com idade entre 16 e 25 anos: há uma semana, Serra tinha 38% e Marta 33% das intenções de voto entre os eleitores mais jovens. Hoje, a petista, que ganhou cinco pontos percentuais nesse segmento, sua maior variação positiva registrada na pesquisa, tem 38% das intenções de voto, enquanto o peessedebista conta com 36% das preferências.

Entre os eleitores com idade entre 26 e 40 anos Marta, com 41%, supera Serra, que tem 30%. Há uma semana ocorria empate, com Marta numericamente à frente (38% a 34%). Entre os eleitores com 41 anos ou mais, segmento no qual não houve variação em relação ao levantamento anterior, o peessedebista, com 38%, mantém sua vantagem sobre a petista, que conta com 28% das preferências.

Já entre as mulheres, a vantagem de Serra sobre Marta, que há uma semana era de dez pontos percentuais, se reduziu a três pontos, e ocorre agora um empate entre os candidatos: a intenção de voto em Serra entre o eleitorado feminino passou de 40% para 37%, enquanto a taxa das mulheres que preferem Marta subiu de 30% para 34%.

Vantagem de Serra sobre Marta em simulação de segundo turno é a menor até o momento

Se o segundo turno da eleição fosse disputado hoje, entre os dois candidatos que lideram a disputa no primeiro turno, 51% dos eleitores da capital paulista votariam em José Serra, enquanto 41% dariam seu voto a Marta Suplicy. Na pesquisa anterior, 54% declaravam intenção de votar em Serra e 38% votariam em Marta. Ou seja, a vantagem do peessedebista passou de 16 para 10 pontos percentuais em uma semana, e é a menor já obtida por ele nessa série de pesquisas. No fim de junho a vantagem de Serra sobre Marta chegava a 33 pontos.

Entre os eleitores que declaram intenção de votar em Paulo Maluf no primeiro turno da eleição, o percentual dos que votariam em Serra no caso de um segundo turno disputado entre o peessedebista e a atual prefeita passou de 74% para 68%. A taxa de eleitores de Maluf que votariam em Marta oscilou de 13% para 15% e a dos que anulariam o voto ou votariam em branco passou de 11% para 17%.

Os eleitores de Luiza Erundina, hoje, se mostram divididos diante de um segundo turno entre Serra e Marta: 42% votariam no peessedebista e 40% optariam pela atual prefeita. Na pesquisa anterior, a vantagem era de Serra: 59% dos eleitores da candidata do PSB afirmavam que votariam em Serra e 28% declaravam apoio a Marta.

Dos que hoje anulariam o voto ou votariam em branco, 63% não mudariam seu voto em um segundo turno disputado entre Serra e Marta; 20% votariam no peessedebista e 14% na atual prefeita.

80% dos eleitores de Marta, 76% dos de Maluf e 73% dos de Serra se dizem totalmente decididos

O percentual de eleitores que têm a intenção de votar pela reeleição de Marta Suplicy e se dizem totalmente decididos subiu de 76% para 80% em relação à pesquisa da semana passada. Entre os que afirmam que votariam hoje em José Serra a taxa dos que se dizem totalmente decididos oscilou de 71% para 73%.

Entre os potenciais eleitores de Paulo Maluf, terceiro colocado na disputa, a taxa dos que se dizem totalmente decididos oscilou de 75% para 76%. O percentual de eleitores que têm intenção de votar em Luiza Erundina e se dizem totalmente decididos subiu de 47% para 54%.

A pesquisa mostra que, dos eleitores que hoje votariam em Maluf, mas não estão totalmente decididos, 50% apontam Serra como o candidato com mais chances de receber seu voto caso mudem de idéia. Citam Marta como segunda opção 17% dos eleitores que hoje preferem o ex-prefeito.

Dos eleitores que hoje votariam em Luiza Erundina, mas que admitem a possibilidade de mudar, 44% citam Serra como candidato com mais chances de receber seu voto e 37% dizem, em caso de mudança, provavelmente votariam em Marta.

Quando indagados a respeito do número que devem digitar na urna eletrônica para confirmar seu voto em 3 de outubro, 76% dos eleitores de Marta (número 13) e 72% dos eleitores de Maluf (número 11) respondem corretamente. Marta e Maluf têm sido, entre os candidatos a prefeito, os que têm mais eleitores declarados que conhecem o número a ser digitado na urna eletrônica para confirmar seu voto, desde a primeira pesquisa do Datafolha sobre o tema, em agosto.

O percentual de eleitores que têm intenção de votar em José Serra (número 45) para prefeito e respondem corretamente o número que devem digitar na urna eletrônica para confirmar seu voto vêm aumentando: em uma semana, passou de 53% para 69%. A candidata do PSB, Luiza Erundina (número 40), é a que tem menor percentual de eleitores que sabem informar seu número: 55% (eram 43% há uma semana).

Rejeição a Serra sobe quatro pontos em uma semana

José Serra foi o único candidato a apresentar variação no que diz respeito à rejeição por parte do eleitorado da cidade de São Paulo. Pela primeira vez nessa série de pesquisas a taxa dos que afirmam que não votariam de jeito nenhum no candidato do PSDB para prefeito subiu; no caso, de 11% na semana passada para 15% hoje. A rejeição ao peessedebista subiu principalmente entre os eleitores com escolaridade fundamental (de 10% para 16%) e entre aqueles com renda familiar mensal até cinco salários mínimos (de 11% para 16%). Houve aumento da rejeição ao candidato tanto entre os homens quanto entre as mulheres (de quatro pontos percentuais, em ambos os casos), mas a taxa dos que não votariam de jeito nenhum no tucano continua sendo maior entre eles (19%) do que entre elas (12%).

As taxas de rejeição dos demais candidatos a prefeito se mantiveram estáveis em relação à pesquisa de 17 de setembro.

O percentual dos que não votariam em Paulo Maluf para prefeito de jeito nenhum oscilou de 52% para 51% e a taxa de rejeição a Marta Suplicy se manteve em 31%. A rejeição a Luiza Erundina se manteve em 21% e a taxa dos que não votariam de forma alguma em Doutora Havanir oscilou de 21% para 22%.

Vêm a seguir Francisco Rossi, Osmar Lins (11%, cada), Ciro, João Manuel e Paulinho (10%, cada), Penna (9%), Anaí Caproni (8%), Dirceu Travesso e Professor Walter Canoas (7%, cada).

Afirmam que rejeitam todos ou não votariam em nenhum dos candidatos 2%, e dizem que votariam em qualquer um deles 3%. Não souberam responder 4% dos entrevistados.

Intenção de voto em Serra em queda nas zonas norte e oeste

A mais recente pesquisa do Datafolha sobre a intenção de voto para prefeito de São Paulo, realizada no último dia 24 de setembro, mostra empate entre os candidatos José Serra (PSDB) e Marta Suplicy (PT), com 35% das intenções de voto, cada. Em relação à pesquisa realizada no dia 17, o peessedebista oscilou dois pontos percentuais para baixo, enquanto a petista oscilou na mesma proporção, para cima.

A análise dos resultados das pesquisas do Datafolha a partir da divisão da cidade em oito regiões mostra que Serra vem perdendo pontos para Marta, de maneira constante, na zona norte; a vantagem do peessedebista também vem diminuindo na zona oeste. Marta se recuperou na zona leste, onde lidera na parte mais pobre e periférica da região. Na zona sul, Serra continua à frente na parte mais nobre da região, enquanto Marta continua líder nos distritos mais pobres.

A maior variação se deu na região norte, região que corresponde a um quinto do eleitorado da capital paulista.

Na zona norte, como um todo, a preferência por Serra vem caindo a cada pesquisa, desde o levantamento realizado no dia 10 de setembro; por outro lado, o percentual de intenção de voto em Marta vem subindo desde então. No dia 10, Serra tinha 44% das intenções de voto na zona norte, contra 23% de eleitores que preferiam Marta, uma vantagem de 21 pontos percentuais para o peessedebista. No dia 17, essa diferença caiu para 12 pontos: Serra tinha então 39% e Marta 27%. Na mais recente pesquisa, Serra, com 36%, tem uma vantagem de apenas quatro pontos sobre Marta, que obtém 32% das intenções de voto nessa região.

Na região norte 1, da qual fazem parte, entre outros, os distritos de Santana, Jaçanã e Vila Maria, a intenção de voto em Serra oscilou de 42% no dia 17 para 40% no dia 24; a taxa dos que preferem Marta subiu de 21% para 28% no mesmo período. Ou seja, nessa região, a vantagem de Serra sobre Marta caiu de 21 para 12 pontos percentuais em uma semana.

Na norte 2, da qual fazem parte, entre outros distritos, Casa Verde, Freguesia do Ó e Jaraguá, Serra e Marta têm, hoje, 34% das intenções de voto, cada um. Há uma semana, Serra tinha sete pontos de vantagem sobre Marta (38% a 31%).

Serra também vem perdendo pontos na zona oeste desde o dia 10 de setembro. Naquela ocasião, o peessedebista atingia 50% das intenções de voto, 22 pontos percentuais à frente de Marta, que obtinha 28% das preferências na região. No dia 17, a vantagem de Serra passou a ser de 17 pontos: o peessedebista foi para 45%, enquanto Marta se manteve com 28 das preferências. No dia 24, Serra oscilou para 44%, enquanto Marta foi a 34%, e a diferença, de dez pontos percentuais, é a menor desde agosto. A zona oeste tem o menor percentual de eleitores na cidade (6,09%).

Na zona leste, que concentra 34,79% do eleitorado, Marta subiu cinco pontos percentuais, de 31% para 36% das intenções de voto, enquanto Serra oscilou de 34% para 32%.

A atual prefeita, que, desde agosto, lidera na parte mais pobre da região, aqui denominada de leste 2, formada por distritos como Cidade Tiradentes, Itaquera e São Miguel, tinha visto sua vantagem sobre Serra diminuir na pesquisa de 17 de setembro. Na pesquisa do dia 24, no entanto, Marta, com 43% das intenções de voto (taxa sete pontos percentuais superior à da pesquisa anterior), abre 15 pontos de vantagem sobre Serra, que tem 28% (quatro pontos a menos do que na semana passada).

Na leste 1, que abrange, entre outros distritos, Tatuapé, Belém e Moóca, a situação é de estabilidade, com vantagem para Serra, que, com 37% das intenções de voto, está nove pontos à frente de Marta, que conta com 28% das preferências.

Na zona sul (31,45% do eleitorado), como um todo, a petista passou de 39% para 36%, enquanto Serra foi de 35% para 33% das intenções de voto.

Na região sul 1, formada por distritos como Vila Mariana, Saúde e Moema, Serra continua com larga vantagem sobre Marta: nessa região, o peessedebista tem 43% das intenções de voto, 23 pontos à frente da petista, que tem 20%. Em relação à pesquisa anterior, no entanto, ambos perderam pontos: Serra tinha 48% e Marta contava com 23% das preferências. Paulo Maluf (PP), por sua vez, passou de 11% para 18% nessa região.

Na sul 2, mais pobre e periférica, formada por distritos como Jardim Ângela, Capão Redondo e Campo Limpo, Marta continua liderando, com 42% das intenções de voto. Serra ocupa o segundo lugar, com 29% das preferências. Na pesquisa do dia 10, a petista tinha 45% e o peessedebista 31% nessa região.

O reduzido número de entrevistas correspondentes ao centro não permite uma análise estatística segura para essa região.

A pesquisa foi realizada no dia 24 de setembro e foram entrevistados 1726 eleitores que moram na cidade de São Paulo. A margem de erro máxima, para o total da amostra, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Marta e Serra têm melhor desempenho na TV, segundo eleitores que viram horário eleitoral

Marta Suplicy (PT), com 57% de aprovação, e José Serra (PSDB), aprovado por 56%, são os candidatos melhor avaliados em relação ao desempenho no horário eleitoral na TV, revela pesquisa do Datafolha realizada nesta sexta-feira, 24 de setembro.

A avaliação é feita apenas pelos eleitores que viram as propagandas dos candidatos.

Há duas semanas, o percentual de aprovação a Serra (73%) era 11 pontos superior ao dos que aprovavam o desempenho de Marta (62%).

A pesquisa mostra queda na aprovação do desempenho dos quatro principais candidatos a prefeito. Assim como aconteceu com Serra e Marta,

Paulo Maluf (PP) e Luiza Erundina (PSB) também recebem pior avaliação hoje do que há duas semanas.

A aprovação ao desempenho de Luiza Erundina na TV caiu de 43% para 38%, e a taxa dos que aprovam a performance de Paulo Maluf foi de 39% para 31%, inferior à taxa de reprovação, que subiu de 30% para 37%.

Afirmam já ter visto o desempenho de Marta Suplicy no horário eleitoral na TV 59% dos entrevistados, mesmo percentual dos que dizem já ter visto algum programa de José Serra. Os programas de Luiza Erundina já foram assistidos por 54% e os de Paulo Maluf por 53%.

Foram entrevistados 1726 eleitores que moram na cidade de São Paulo. A margem de erro máxima é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

São Paulo, 24 de setembro de 2004

Baixe esta pesquisa