Saltar para o conteúdo principal

Fortunati atinge 47% e abre 23 pontos de vantagem sobre Manuela

Eleições -

Com 56% dos votos válidos, atual prefeito seria reeleito no 1º turno

O atual prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), voltou a crescer e, a dez dias da eleição, atingiu 47% das intenções de voto. Há duas semanas ele aparecia com 41% das indicações, com vantagem de 11 pontos sobre Manuela D´Ávila (PC do B). Com a queda de 30% para 24% de sua adversária mais próxima, Manuela, a distância entre eles dobrou e agora é de 23%.

Em terceiro aparece Villa (PT), que tem 9% das intenções de voto, ante 7% há duas semanas. Ele é seguido por Roberto Robaina (PSOL), com 2%; Wambert di Lorenzo (PSDB), que tem 1%; e Jocelin Azambuja (PSL) e Erico Correa (PSTU), que não atingiram 1%. O índice de indecisos é de 10%, e 7% tem a intenção de anular ou votar em branco.

Na contagem dos votos válidos, Fortunati tem 56% e venceria a eleição já no primeiro turno se a eleição fosse agora. A candidata do PC do B teria 29% dos votos válidos, e Villa, 10%. Essa é a primeira pesquisa Datafolha em que são divulgados os votos válidos. Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Foram ouvidos 1152 eleitores de Porto Alegre, com 16 anos ou mais, nos dias 25 e 26 de setembro de 2012. A margem de erro máxima, para o total da amostra, é de três pontos percentuais, para mais ou para menos

Na comparação com a pesquisa concluída em 11 de setembro, Fortunati cresceu oito pontos entre as mulheres (de 40% para 48%), mesmo índice de queda de Manuela nesse segmento (de 32% para 24%).

O pedetista também viu a preferência por seu nome aumentar sete pontos (de 35% para 42%) entre os mais jovens, de 16 a 24 anos, enquanto Manuela teve queda de 12 pontos nessa fatia do eleitorado (de 45% para 33%). Ela também viu sua intenção de voto cair nove pontos entre os eleitores de 35 a 44 anos (de 36% para 27%) e seis pontos entre os que têm de 45 a 59 anos (de 28% para 22%). Nesses segmentos, Fortunati ganhou, respectivamente, 13 pontos (de 33% para 46%) e oito pontos (de 40% para 48%).

Entre os eleitores com ensino médio, a candidata do PC do B recuou de 34% para 24%, enquanto o atual prefeito cresceu de 40% para 50%. Manuela também teve queda na fatia dos mais escolarizados, na qual perdeu sete pontos (de 27% para 20%). Na segmentação por renda, Fortunati foi de 40% para 49% entre aqueles com renda mensal familiar de 2 a 5 salários, eleitorado no qual a candidata do PC do B recuou de 33% para 27%. Ela também teve queda de nove pontos entre os que ganham de 5 a 10 mínimos (de 32% para 23%).

Na pesquisa de voto espontânea, em que os nomes dos candidatos na disputa não são apresentados aos eleitores, Fortunati tem 39%, alta de sete pontos na comparação com levantamento anterior. As indicações espontâneas a Manuela recuaram de 25% para 20%, Também foram citados espontaneamente os candidatos Villa (7%), Robaina (2%) e Wambert di Lorenzo (1%). Votos nulos ou em branco somam 6%, e 22% não souberam indicar espontaneamente um candidato.

O número do candidato escolhido para prefeito é mencionado corretamente por 60%, alta de quatro pontos em relação ao levantamento concluído em 11 de setembro. A fatia dos que não souberam apontar o número de seu candidato passou de 37% para 34%. Outros 3% citaram incorretamente esse número, e 3% afirmaram ter a intenção de anular mas não sabem como fazer isso.

Entre os eleitores de Fortunati e Villa, o acerto sobre o número fica acima da média (66% e 73%, respectivamente). No eleitorado de Manuela, a tendência se inverte e 47% dizem não saber o número da candidata.

WAMBERT, MANUELA E VILLA LIDERAM REJEIÇÃO

A rejeição ao candidato do PSDB, Wambert di Lorenzo, teve alta de 16% para 24% desde a segunda semana de setembro e, agora, ele lidera a lista dos candidatos em que os eleitores não votariam de jeito nenhum para prefeito de Porto Alegre, ao lado de Manuela (22%, ante 19% há duas semanas) e Villa (22%, ante 18% há duas semanas). Líder na intenção de voto, Fortunati tem a menor rejeição (10%).

Aparecem ainda entre aqueles em quem os eleitores não votariam os candidatos Erico Correa (17%), Robaina (14%) e Azambuja (14%). Uma fatia de 15% declarou não rejeitar nenhum candidato, e 4% rejeitam todos os nomes na disputa. Há ainda 10% que não souberam responder.

FORTUNATI VENCERIA MANUELA TAMBÉM NO 2º TURNO

Em um eventual segundo turno envolvendo Fortunati e Manuela D´Ávila, o prefeito teria 53% das intenções de voto, ante 32% da candidata do PC do B. Os indecisos somam 7%, e outros 8% optariam por votar em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos.

Na comparação com outras simulações de segundo turno, a vantagem do atual prefeito aumentou: no final de agosto, os dois apareciam numericamente empatados, com 43% cada. Duas semanas depois, a indicação de voto em Fortunati foi a 48%, e 38% escolheriam Manuela. Desde então, a distância de 10 pontos aumentou para 21 pontos.

Baixe esta pesquisa