Saltar para o conteúdo principal

Beto Richa lidera e pode vencer no 1º turno no Paraná

Eleições -

Faltando três dias para o primeiro turno das eleições, pesquisa Datafolha, realizada com eleitores do Estado do Paraná, mostra um cenário estável na comparação com a semana passada. Quando são apresentados os nomes dos candidatos, Beto Richa (PSDB) segue na liderança, o candidato foi o único a crescer, de 45% para 49%. Requião (PMDB) tem 27% (tinha 30%) e Gleisi Hoffmann tem 11% (tinha 10%).

Ogier Buchi (PRP) manteve 1% (mesma taxa anterior) enquanto Bernardo Pilotto (PSOL), Geonisio Marinho (PRTB), Tulio Bandeira (PTC) e Rodrigo Tomazini (PSTU) foram citados, mas não alcançaram 1%. Brancos ou nulos chegam a 4% (era 6%) e indecisos a 7% (era 9%).

Levando em conta somente os votos válidos, Richa tem 55% (tinha 52%), Requião tem 30% (tinha 35%), Gleisi tem 12% (mesma taxa anterior) e Buchi tem 1% (mesma taxa anterior). Pilotto, Marinho, Bandeira e Tomazini foram citados, mas não alcançaram 1%. Essa é a terceira pesquisa Datafolha em que são divulgados os votos válidos. Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto. Considerando a margem de erro de 3,0 pontos, Richa venceria no primeiro turno caso a eleição fosse hoje.

Nesse levantamento realizado entre os dias 01 e 02 de outubro de 2014, o Datafolha entrevistou 1.367 eleitores em 51 municípios do Estado do Paraná. A margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos, para o total da amostra.

Dos eleitores paranaenses que pretendem votar em algum candidato ou anular, 53% informaram corretamente o número, 2% incorretamente, 43% dos eleitores não souberam informar e 2% não souberam como anular o voto.

Entre os eleitores de Richa, 58% informaram corretamente o número do tucano, 1% informou incorretamente e 41% não souberam dizer o número. Entre os eleitores de Requiao, essas taxas são, respectivamente, 51%, 3% e 46%.

Na intenção de voto espontânea, Richa segue na liderança. O tucano foi o único a crescer no período, de 33% para 38%. No período, Requião tem 21% (tinha 22%) e Gleisi, manteve 7%. Buchi, Pilotto e Tomazini foram citados, mas não alcançaram 1%. Marinho não foi citado. Outras respostas alcançaram 4% (era 1%), brancos ou nulos, 3% (era 6%), e indecisos, 27% (era 31%) - este segmento do eleitorado vem caindo a cada levantamento.

As taxas de rejeição dos candidatos se mantiveram estáveis na comparação com a pesquisa da semana passada. Requião segue sendo o candidato mais rejeitado pelos eleitores paranaenses, com 27% (era 26%), a seguir aparece Gleisi, com 20% (tinha 19%) e Richa, com 16% (tinha 20%). Bernado Pilotto tem 9% (tinha 7%), Ogier Buchi tem 8% (mesma taxa anterior), Geonisio Marinho tem 7% (tinha 6%), Rodrigo Tomazini tem 7% (tinha 6%) e Tulio Bandeira tem 6% (tinha 8%). Rejeitam todos os candidatos, 2% (era 3%), não rejeitam nenhum, 15% (era 14%), e não souberam responder, 17% (era 14%).

Na simulação de segundo turno entre Richa e Requião, o tucano ampliou sua vantagem de 13 para 19 pontos: 54% a 35% (era 51% a 38%). Nesse cenário, brancos ou nulos alcançam 5% (era 6%) e indecisos 6% (era 5%). Requião recebe a maior parte dos eleitores de Gleisi, 51%, enquanto Richa herda um terço (32%) dos eleitores da petista.

Levando em conta somente os votos válidos, Richa alcança 61% e Requião, 39%.
 
Álvaro Dias é favorito para vaga no Senado

Álvaro Dias (PSDB) segue na liderança para o senado do Paraná. Na pergunta estimulada, o tucano tem 65% das preferências e, em comparação com a pesquisa da semana passada, oscilou dois pontos para cima (tinha 63%). No período, Ricardo Gomyde (PC do B) oscilou de 8% para 7% e Marcelo Almeida (PMDB) manteve 4%.

Com 1% das preferências aparecem Professor Piva (PSOL) (mesma taxa anterior), Mauri Viana (PRP) (não alcançava 1% no levantamento anterior) e Adilson Senador da Família (PRTB). Luiz Barbara (PTC) e Castagna (PSTU) foram citados, mas não alcançaram 1%. No período, a taxa de indecisos se manteve em 15% e a de branco ou nulo, oscilou de 8% para 6%.

Levando em conta somente os votos válidos, Dias tem 82% (mesma taxa anterior), Gomyde, tem 9% (tinha 10%), Almeida, 6% (tinha 5%), e com 1%, cada um, os candidatos Piva, Viana e Adilson. Barbara e Castagna não alcançaram 1%. Essa é a terceira pesquisa Datafolha em que são divulgados os votos válidos. Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Considerando a margem de erro de 3,0 pontos, Álvaro Dias seria eleito senador do Paraná.

Dois terços dos eleitores paranaenses (65%) não souberam dizer o número dos seus candidatos, 25% informaram corretamente, 6% incorretamente e 3% não souberam como anular o voto.

Entre os eleitores de Álvaro Dias, 68% não souberam dizer o número do tucano, 26% informaram corretamente e 6% incorretamente. Já, entre os eleitores de Gomyde, 64% não souberam dizer o número do candidato, 22% informaram corretamente e 15% incorretamente.

BAIXE OS DADOS DESTA PESQUISA