Saltar para o conteúdo principal

Dilma (53%) assume liderança da disputa presidencial; Aécio tem 47%

Eleições -

Com 53% das intenções de votos válidos, a presidente Dilma Rousseff (PT) tem uma vantagem inédita sobre Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial. O tucano tem, atualmente, 47% das intenções de votos válidos, distância que desfaz o empate técnico estabelecido entre as duas candidaturas até então.

No primeiro levantamento realizado pelo Datafolha no 2º turno, entre 08 e 09 de outubro, Aécio tinha 51% dos válidos, ante 49% de Dilma. Na semana seguinte, entre 14 e 15 de outubro, esses índices foram mantidos. No início desta semana, em 20 de outubro, a situação se inverteu numericamente, mas o empate continuou, com a petista alcançando 52%, e Aécio obtendo 48%. Novo levantamento, em 21 de outubro, confirmou os índices de 52% para a presidente e 48% para o senador mineiro, e agora a petista obtém maior vantagem.

Para o cálculo dos válidos são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado da eleição. No 1º turno, Dilma teve 42% dos votos válidos, e Aécio, 34%.

Quando é contabilizado o total de votos, Dilma tem 48%, e Aécio, 42%. Há ainda 5% que votariam em branco ou nulo, e 5% que ainda não decidiram como votar. Na pesquisa realizada na última terça-feira, a petista aparecia com 47%, ante 43% do adversário.

Entre os mais jovens, Dilma obteve o empate com Aécio (45% para ambos). No primeiro levantamento realizado pelo Datafolha no 2º turno, Aécio tinha 52% entre no eleitorado mais jovem, ante 38% de Dilma. Essa distância tem caído a cada nova pesquisa, e agora, pela primeira vez, deu lugar ao empate.

Nesse levantamento, realizado em 22 e 23 de outubro, o Datafolha entrevistou 9.910 eleitores em 399 cidades em todas as regiões do Brasil. A margem de erro máxima é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, para o total da amostra.

Entre os eleitores que declaram intenção de votar, 88% sabem o número de seu candidato à Presidência. Entre os eleitores de Dilma, 91% sabem seu número, índice similar ao registrado entre os que pretendem votar em Aécio (92%). Há ainda 7% que não sabem o número de seu candidato, 4% que citam um número incorreto, e 2% que pretendem votar nulo mas não sabem qual número irão digitar na urna eletrônica.

A candidatura de Aécio é rejeitada, atualmente, por 41% do eleitorado, enquanto Dilma registra taxa de rejeição de 37%. Desde o início do 2º turno, a fatia do eleitorado que não votaria de jeito nenhum no tucano passou de 34% para 41%, enquanto a de Dilma recuou de 43% para 37%.

Uma parcela de 46% do eleitorado votaria com certeza em Dilma, 15% poderiam votar, e 1% não tem opinião sobre sua candidatura. Em Aécio, 39% votariam com certeza, 18% talvez votassem, e 2% não souberam opinar.

62% assistiram a programas eleitorais dos presidenciáveis na tv

A maioria (62%) dos eleitores brasileiros assistiu a algum dos programas eleitorais exibidos pelos candidatos a presidente, na TV, neste 2º turno. Entre os eleitores com ensino superior, 71% viram algum programa eleitoral, na TV, índice que fica em 56% entre os que estudaram até o ensino fundamental.

Na parcela do eleitorado que assistiu a algum programa dos presidenciáveis na TV, 97% viram algum programa de Dilma, e 94%, de Aécio. Esses eleitores também foram consultados sobre o desempenho do candidato no programa assistido.

Entre os que viram o programa de Dilma, 50% o avaliaram como ótimo ou bom, 31%, como regular, e 18%, como ruim ou péssimo. Na fatia que declara votar na candidata do PT e viram algum programa dela, 79% avaliaram seu desempenho como ótimo ou bom, e 18%, como regular. Entre os que viram o programa de Dilma e votam em Aécio, 19% consideraram o desempenho da petista ótimo ou bom, 43%, regular, e 37%, ruim ou péssimo.

No grupo que assistiu ao programa de Aécio, 53% consideram o desempenho do tucano na TV ótimo ou bom, 29%, regular, e 17%, ruim ou péssimo. Entre seus eleitores, 84% avaliaram o tucano como ótimo ou bom no horário eleitoral, e 14%, regular. Na fatia dos que viram o programa de Aécio mas votam em Dilma, 26% consideraram o desempenho do candidato do PSDB na TV ótimo ou bom, 42%, regular, e 31%, ótimo ou bom.

Aprovação à gestão Dilma atinge 44%

Considerado ótimo ou bom por 44%, o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) atingiu seu maior índice de aprovação desde junho de 2013 (à época, 57% avaliam a gestão da petista como ótima ou boa). Na comparação com levantamento realizado na última terça-feira (21), a taxa de aprovação ao governo Dilma oscilou positivamente (era de 42%). Nesse intervalo, a fatia dos que reprovam a gestão da atual presidente oscilou de 20% para 19%, enquanto a fatia dos que a consideram regular oscilou de 37% para 36%. Há ainda 1% que não opinou sobre o assunto.

De 0 a 10, a nota média atribuída atualmente ao governo Dilma Rousseff é 6,4, ante 6,3 no último levantamento.

Na série histórica do Datafolha, a presidente atingiu seu índice mais alto de avaliação em março de 2013, quando 65% avaliavam seu governo como ótimo ou bom. Em julho de 2013, após o início da onda de protestos que ocuparam as ruas de várias cidades brasileiras, a taxa de aprovação registrou seu índice mais baixo (30%). Desde então, vem alternando momentos de alta e queda, e agora chegou ao patamar mais alto desde as manifestações.

BAIXE OS DADOS DESTA PESQUISA