Saltar para o conteúdo principal

Covas (23%) e Russomanno (20%) lideram disputa em SP

Eleições -

O candidato do Republicanos, Celso Russomanno, teve queda de sete pontos percentuais nas intenções de voto em relação ao início de outubro e neste momento é o candidato a prefeito de 20% dos paulistanos. Ele está tecnicamente empatado com Bruno Covas (PSDB), que oscilou de 21% para 23% no mesmo período. Diante de um movimento de baixa que já lhe tirou cerca de um terço das intenções de voto desde o início da campanha, está é a primeira vez que Russomanno aparece numericamente atrás do tucano.

Em pesquisa realizada entre 21 e 22 de setembro, o deputado federal do Republicanos tinha 29% das intenções de voto, e Covas, 20%. Na consulta seguinte, entre 05 e 06 de outubro, Russomanno havia recuado para 27%, com empate no limite da margem com o tucano, que tinha 21%. Ou seja, ao longo do primeiro mês de campanha, a vantagem de Russumanno para Covas foi reduzida de nove pontos para nula.

Em um patamar abaixo aparecem empatados Guilherme Boulos (PSOL), com 14%, e Marcio França (PSB), com 10%. Na última pesquisa eles tinham 12% e 8%, respectivamente. O postulante do PT, Jilmar Tatto, saiu de 1% na pesquisa do início do mês para 4% atualmente, e no mesmo patamar estão Arthur do Val Mamãe Falei (Patriota), com 4%, Joice Hasselmann (PSL), com 3% e Andrea Matarazzo (PSD), com 2%.
Levi Fidelix (PRTB), Orlando Silva (PCdoB), Marina Helou (Rede) e Vera (PSTU), com 1% cada, Sabará (Novo) e Antonio Carlos (PCO) foram citados, mas não atingiram 1%. Há 13% que pretendem votar em branco ou anular, e 3% não souberam opinar.

Na pesquisa espontânea, em que os nomes dos candidatos não são apresentados aos eleitores, caiu de 49% para 36% o índice dos que não citam nenhum deles desde a primeira semana de outubro. Nesse período, as menções a Covas passaram de 10% para 13%, Russomanno saiu de 7% para 11%, Boulos oscilou de 10% para 11%, e França passou de 3% para 5%. Também foram citados Arthur do Val (3%), Tatto (2%), Matarazzo (1%), Joice Hasselmann (1%) e candidato do PT (2%), entre outros com menos de 1%.

Entre os mais jovens, 20% declaram voto no candidato do PSOL espontaneamente, e entre quem tem 60 anos ou mais 21% mencionam Covas. O candidato do PSOL também se destaca entre quem estudou até o ensino superior, com 22% das intenções espontâneas de voto, e nas faixas de renda mais altas, ao lado de Covas.

Baixa a pesquisa completa