Saltar para o conteúdo principal

Boulos vai a 40% e diminui vantagem de Covas, que se mantém com 48%

Eleições -

O prefeito Bruno Covas (PSDB) entra na semana decisiva da eleição para a Prefeitura de São Paulo com 48% das intenções de voto, contra 40% de seu adversário, Guilherme Boulos (PSOL) A vantagem do tucano a seis dias da eleição é menor do que a registrada na semana passada, quando ele era o preferido de 48% do eleitorado, e o candidato do PSOL aparecia com 35%. A taxa de eleitores que pretendem votar em branco ou nulo passou de 13% para 9% nesse período, e a de indecisos oscilou de 4% para 3%.

Boulos passou de 34% para 40% entre os homens, e de 36% para 40% entre as mulheres. Na comparação com o último levantamento, o candidato do PSOL ampliou sua vantagem entre os mais jovens, na faixa de 16 a 24 anos (de 46% para 57%, segmento em que Covas passou de 31% para 30%) e de 25 a 34 anos (de 44% para 49%, e seu adversário oscilou de 38% para 39%), além de alcançar um empate técnico no segmento intermediário, de 35 a 44 anos (foi de 35% para 42%, enquanto o tucano se manteve com 46%). Ou seja, a vantagem do atual prefeito neste momento é sustentada no eleitorado mais velho. No segmento de 45 a 59 anos, Boulos passou de 33% para 36%, e o tucano se manteve à frente, apesar da oscilação negativa de 50% para 49%, Entre eleitores com 60 anos ou mais, o candidato do PSOL oscilou de 23% 24%, e Covas manteve a preferência de dois terços (65%).

O prefeito Bruno Covas também leva vantagem entre os menos escolarizados (59% a 29%), e fica numericamente à frente entre eleitores com escolaridade média (46% a 40%), empatado com o adversário. Esse empate persiste entre eleitores com curso superior, porém com vantagem numérica para o representante do PSOL (48% a 44%). Na análise por renda, o tucano abre distância entre eleitores com renda familiar mensal de 5 a 10 salários (56% a 35%) e entre os eleitores com renda acima de 10 salários mínimos (53% a 42%), e nas demais há empate técnico, sempre com Covas numericamente à frente.

Nos votos válidos, quando são excluídos as declarações e voto em branco, nulos e a taxa de indecisos, o tucano tem 55%, e o candidato do PSOL, 45%. Na semana passada, a vantagem do tucano era 16 pontos (58% a 42%). Para divulgar o resultado oficia da eleição, a Justiça Eleitoral contabiliza somente os votos válidos, sem considera brancos e nulos.

Nesse levantamento, realizado no dia 23 de novembro, foram realizadas 1.260 entrevistas presenciais, com eleitores da cidade de São Paulo com 16 anos ou mais, de todas as regiões da cidade. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos considerando um nível de confiança de 95%.

Baixa a pesquisa completa