Saltar para o conteúdo principal

Maioria dos paulistanos quer prisão imediata de condenados no mensalão

Opinião Pública -

A maioria dos moradores da cidade de São Paulo quer ver imediatamente na cadeia os condenados no processo do mensalão, que poderá ser revisto parcialmente caso o STF (Supremo Tribunal Federal) aceite os recursos da defesa de alguns dos envolvidos.

Para 79%, os condenados do mensalão deveriam ser presos imediatamente, e 18% acreditam que eles mereciam um novo julgamento para rever eventuais falhas e injustiças cometidas ao longo do processo já julgado pelo STF. Há ainda 4% que não souberam responder a essa questão.

No final de junho, o Datafolha apresentou aos moradores da capital paulista a mesma questão, e os resultados mostram que a fatia dos que querem vê-los presos imediatamente se mantém nos mesmo patamar (76% à época), assim como a parcela de paulistanos que indicam a preferência por um novo julgamento (15%).

Também é compartilhada pela maioria (90%) a opinião de que o mensalão foi um caso de corrupção que envolveu a compra e venda de votos no Congresso Nacional, enquanto 5% acreditam que o mensalão foi um esquema para arrecadar dinheiro para o pagamento de dívidas de campanhas eleitorais, e não um caso de corrupção. Os demais (5%) não souberam responder.

A reabertura de parte do julgamento, que será decidida hoje pelo ministro Celso de Mello, é um assunto conhecido por metade dos paulistanos (50%). Nesta parcela da população, 19% estão bem informados sobre o assunto, 25% estão mais ou menos informados, e 7%, mal informados.

Os mais jovens, de 16 a 24 anos, têm menos conhecimento sobre a atual fase do mensalão do que a média (35%), assim como aqueles que estudaram até o ensino fundamental (42%) e os mais pobres, com renda familiar mensal de até 2 salários mínimos (38%). Os mais ricos e mais escolarizados, por outro lado, têm conhecimento acima da média sobre o julgamento dos recursos que podem reabrir parte do processo.

Quando questionados se o ministro Celso de Mello, que dará o voto decisivo sobre a reabertura do julgamento, deveria votar a favor ou contra essa medida, 55% indicam que ele deveria votar contra, ou seja, ele deveria se opor a uma nova etapa de julgamento para parte dos condenados. Uma fatia de 37% afirma que ele deveria votar a favor, e 7% não souberam responder.

Uma análise de acordo com o grau de conhecimento sobre o assunto, porém, mostra que os mais informados sobre os recursos que dão uma nova chance aos condenados são majoritariamente contrários a essa possibilidade: entre os bem informados, 76% são contrários, e entre os mais ou menos informados, 63% têm a mesma posição.

Questionados sobre o que deverá acontecer de fato, se o ministro Celso de Mello irá votar a favor ou contra a reabertura do julgamento, 50% dizem que ele votará a favor, 34%, contra, e 17% não souberam responder.

Entre os bem informados sobre a atual fase do julgamento, 56% afirmam que Mello irá votar a favor da reabertura, enquanto 29% dizem que ele votará contra - 14% desse grupo não responderam.

21% aprovam desempenho do STF no mensalão

A atuação do STF (Supremo Tribunal Federal) no julgamento do mensalão é avaliada como ótima ou boa por 21% dos moradores da cidade de São Paulo, abaixo do índice dos que veem o desempenho do Supremo como regular (29%) e ruim ou péssimo (41%).

O nível de aprovação - taxas de ótimo + bom - ao trabalho do tribunal no processo do mensalão fica acima da média entre os mais escolarizados (30%) e os mais ricos (30%), mas fica abaixo da média entre os mais jovens (14%). Entre aqueles que estão bem informados sobre a atual fase do julgamento do mensalão, 31% consideram o desempenho do STF ótimo ou bom.

De 0 a 10, a nota média atribuída pelos paulistanos ao trabalho do STF durante o julgamento do mensalão é 4,6.

Baixe esta pesquisa

Veja matéria sobre a pesquisa publicada na Folha.

Confira também a análise do diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, e do diretor de pesquisas do Datafolha, Alessandro Janoni, sobre o resultado da pesquisa.