Saltar para o conteúdo principal

Para 79% dos paulistanos, Haddad fez menos do que o esperado na saúde

Opinião Pública -

A avaliação dos serviços de saúde municipal na cidade de São Paulo mostra uma divisão de opiniões em relação à satisfação com os serviços prestados, sem avanços nem pioras na comparação com levantamento realizado em junho de 2014.

Dentre os equipamentos de saúde consultados, as UBS's (Unidades Básicas de Saúde) foram as mais utilizadas pelos paulistanos: 56% dizem ter ido a uma dessas unidades nos últimos 12 meses. Dentre os que recorreram a esse serviço, metade (28%) avalia que o atendimento recebido foi ótimo ou bom, 17%, que foi regular, e 11%, que foi ruim ou péssimo. Em junho de 2014, 52% haviam ido a um posto de saúde nos 12 meses anteriores, sendo que 26% avaliaram o atendimento como ótimo ou bom, 15%, como regular, e 11%, como ruim ou péssimo.

As unidades do AMA (Atendimento Médico Ambulatorial) foram utilizadas por metade (50%) dos paulistanos adultos nos últimos 12 meses. Destes, metade (25%) considerou o atendimento recebido ótimo ou bom, e para os demais foi regular (16%) ou ruim ou péssimo (8%). Na pesquisa de junho de 2014, a taxa de utilização também era de 49%, com 25% de aprovação, 13% de avaliação regular e 11% de reprovação ao atendimento.

A taxa de utilização de hospitais municipais pelos paulistanos nos últimos 12 anos ficou em 41%, com avaliação bastante dividida: 15% consideraram o atendimento recebido ótimo ou bom, 12% avaliaram como regular, e para 14% foi ruim ou péssimo. Em junho de 2014, 43% declaravam ter ido a um hospital municipal nos 12 meses anteriores, sendo que 16% deles tiveram um atendimento ótimo ou bom, 12%, um atendimento regular, e 15%, um atendimento ruim ou péssimo.

O equipamento menos utilizado pelos moradores da capital paulista foram as unidades da Rede Hora Certa, visitadas por 17% nos últimos 12 meses. Destes, 11% tiveram um atendimento ótimo ou bom, e os demais se dividem entre os que receberam um atendimento regular (4%) e ruim ou péssimo (2%). Em junho de 2014, 12% haviam utilizado a Rede Hora Certa, que obteve aprovação de 9%, avaliação regular de 3%, e reprovação de 1%.

Consultados sobre o desempenho do prefeito Fernando Haddad na área da saúde, a maioria (79%) avalia que ele fez pela saúde menos do que o esperado. Para 11%, o petista fez pela saúde o que esperavam que fizesse, e somente 2% consideram que Haddad fez pela saúde mais do que esperavam. Uma parcela de 4% indicou outras respostas sobre o tema, e 5% não opinaram.

Baixe esta pesquisa