Presença de Lula na eleição divide população brasileira

Opinião Pública -

A parcela de brasileiros que acredita que Lula deveria ser preso após o que foi revelado pela Operação Lava-Jato e seus desdobramentos não sofreu alteração com a confirmação da condenação do petista em segunda instância, ocorrida na semana passada. Em setembro do ano passado, 54% declaravam que o petista deveria ir para a prisão. Hoje, diante da mesma questão, esse índice é de 53%. Para 44%, Lula não deveria ser preso (em setembro, 40%), e há 3% que preferiram não opinar (no levantamento anterior, 5%).

Leia mais »

Governo Temer é reprovado por 70%

Opinião Pública -

O governo do presidente Michel Temer (PMDB) é considerado ruim ou péssimo por 70% dos brasileiros, índice similar ao verificado em novembro do ano passado (71%). O índice de aprovação de Temer é de 6%, também no mesmo patamar do levantamento anterior (5%), e há 22% que o consideram regular (em setembro, 23%), além e 2% que não opinaram. Na região Nordeste, a reprovação a Temer alcança 80%, a mais alta entre todos os segmentos.

Leia mais »

42% das mulheres brasileiras já sofreram assédio sexual

Opinião Pública -

Uma parcela de 42% das brasileiras com 16 anos ou mais declara já ter sido vítima de assédio sexual. De forma geral, é mais comum o relato de assédio entre as mais escolarizadas (57%) e de renda mais alta (58% na faixa com renda mensal familiar acima de 10 salários) do que entre aquelas que estudaram até o ensino fundamental (26%) ou estão na faixa de renda familiar mais baixa, de até 2 salários (38%). Além disso, a taxa de católicas que declaram ter sofrido assédio (32%) fica abaixo da registrada entre evangélicos (47%) e mulheres sem religião (68%).

Leia mais »

Cai taxa de brasileiros contra o aborto

Opinião Pública -

A maior parcela dos brasileiros adultos segue favorável a criminalização do aborto, porém a taxa recuou no último ano. A taxa de brasileiros que avaliaram que a mulher que interrompe uma gravidez deve ser processada e ir para a cadeia passou de 64%, em dezembro de 2016, para 57% - este é o segundo patamar mais baixo da série, ficando acima apenas do índice de 2007 (era 43%). No período, a taxa de brasileiros que declararam ser contrários a criminalização do aborto cresceu de 23% para 36% - segundo patamar mais alto da série, abaixo apenas do índice de 2007 (era 52%). Uma parcela de 7% não opinou.

Leia mais »

Apoio à pena de morte no Brasil é a mais alta desde 1991

Opinião Pública -

A maior parcela dos brasileiros declarou ser favorável à pena de morte. Quando questionados se caso houvesse uma consulta à população votariam a favor ou contra a adoção da pena de morte, 57% dos entrevistados declararam que votariam a favor. Esse é o maior índice da série histórica (iniciada em 1991) e em comparação com a pesquisa anterior, de março de 2008, o índice cresceu 10 pontos (era 47%). O atual índice supera os 55% observado em fevereiro de 1993 e em março de 2007. Já, a parcela de brasileiros que declararam que votariam contra à adoção da pena de morte são 39% (era 46% em 2008), 3% não opinaram e 1% é indiferente.

Leia mais »