Governo Crivella é reprovado por 72%

Opinião Pública -

A gestão do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) à frente da Prefeitura do Rio de Janeiro é avaliada como ótima ou boa por 8% dos cariocas com 16 anos ou mais. A maioria (72%) dos moradores da capital fluminense considera o governo Crivella ruim ou péssimo, e para 20% é regular. Há ainda 1% que preferiu não opinar.

Leia mais »

Paes e Freixo lideram disputa eleitoral pela prefeitura do Rio

Opinião Pública -

A maioria (53%) dos moradores da cidade do Rio de Janeiro ainda não tem um nome para prefeito na disputa eleitoral que acontecerá em 2020. Esse é o percentual dos que dizem espontaneamente não saber em quem irão votar para o cargo de prefeito, e 24% já declaram voto em branco ou nulo. Os nomes mais lembrados de forma espontânea pelos cariocas para o Executivo municipal são Eduardo Paes (DEM), com 7%, Marcelo Freixo (PSOL), com 6%, e Marcelo Crivella (Republicanos), com 4%. Outros nomes foram citados mas não atingiram 1%.

Leia mais »

Para 54%, libertação do ex-presidente Lula foi justa

Opinião Pública -

Pesquisa Datafolha mostra que a maior parcela dos brasileiros adultos (54%) avalia como justa a libertação do ex-presidente Lula, ocorrida no início de novembro. Uma parcela de 42% avalia como injusta a sua libertação e 5% não opinaram.

Leia mais »

Moro é ministro mais conhecido e bem avaliado do governo

Opinião Pública -

O Datafolha avaliou o conhecimento e desempenho de oito ministros do governo Bolsonaro, e Sérgio Moro, titular da pasta da Justiça e Segurança Pública, segue como o mais popular entre os nomes avaliados. Ele é conhecido por 93% dos brasileiros, índice estável na comparação com os últimos levantamentos. O ministro da Economia, Paulo Guedes, é conhecido por 80%, índice também estável. Na sequência aparecem Damares Alves, ministra da pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos (55% conhecem); Ricardo Salles, do Meio Ambiente (51%); Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura (38%); Ernesto Araújo, das Relações Exteriores (37%); e Abraham Weintraub, da Educação (32%).

Leia mais »